Archive for the ‘Comportamento’ Category

Destaque do Dia: De madrugada, Senado cria 7.343 vagas de vereador

senado

Em votação concluída às duas e meia da madrugada desta quinta (18), o Senado aprovou o projeto que cria 7.343 novas cadeiras de vereador no país.

Foi ao lixo uma conquista de 2004. Naquele ano, nas pegadas de uma decisão do STF, o TSE reduzira o número de vereadores no Brasil de 59.267 para 51.924.

Os senadores votaram sob pressão das galerias, apinhadas de suplentes de vereadores. Suplentes que, convertidos em titulares, assumem em janeiro.

Um dos argumentos usados pelos senadores para recriar as vagas foi o de que o Judiciário reduzira o número de vereadores, mas não mexera nos gastos.

Um problema que seria facilmente solucionado se, em vez de ressuscitar vereadores, o Congresso reduzisse o percentual de gastos das câmaras municipais.

Deu-se, porém, o oposto. Na versão aprovada pelos deputados federais, o projeto continha um artigo que podava as despesas das prefeituras com os vereadores.

Atrelava-se o custo das câmaras a percentuais de receita das prefeituras. No Senado, o relator César Borges (PR-BA) passou esse artigo na lâmina.

Alegou que a redução, por expressiva, inviabilizaria o funcionamento de muitas câmaras de vereadores.

Aloizio Mercadante (PT-SP) ainda tentou injetar no projeto uma emenda que limitava os gastos com vereadores ao montante dispendido em 2008.

Seguiu-se uma chiadeira generalizada. Alegou-se ora que a emenda não poderia ser inserida em plenário ora que a modificação devolveria o projeto à Câmara.

E a emenda de Mercadante foi retirada. Diz-se que voltará a ser discutida no ano que vem, depois do recesso natalino do Legislativo.

Em tese, a supressão de um artigo, feita por César Borges, forçaria o retorno da proposta à Câmara. Mas o Senado deu de ombros.

Sob a alegação de que a essência da proposta permaneceu inalterada, decidiu-se promulgá-la já nesta quinta (18), convertendo-a em lei.

Houve outras anomalias. A recriação das cadeiras de vereador veio na forma de uma emenda à Constituição. Coisa que exige votação em dois turnos.

O primeiro turno exigiria a realização de cinco sessões, em dias alternados. O segundo, demandaria a realização de mais três sessões.

Pois bem, mediante acordo de lideranças, os senadores realizaram as oito sessões numa única madrugada, com intervalos de escassos três minutos entre uma e outra.

Alegou-se que a ressurreição dos postos de vereador era um imperativo. Por que? A decisão do Judiciário teria deformado o sistema representativo nos municípios. Lorota.

A inspiração é de outra. Vereador funciona no município como cabo eleitoral de deputados e senadores. Daí o ritmo frenético e o placar generoso.

A exemplo do que ocorrera na Câmara, a proposta passou no Senado com folgas.

No primeiro turno, o placar foi: 54 votos a favor, cinco contra e uma abstenção.

No segundo, a lavada ampliou-se: 58 a favor, cinco contra e uma abstenção.

Está irritado? Pois houve mais: aproveitou-se a madrugada para aprovar o projeto que regulariza a criação de 57 novos municípios.

Vi no blog do Josias / Foto: Lula Marques/Folha

Anúncios

Destaque do Dia: RBS TV flagra furto de donativos em Blumenau

 

Imagens feitas com microcâmera mostram soldados do Exército levando produtos em mochilas

Imagens feitas com microcâmera mostram soldados do Exército levando produtos em mochilas

 Uma reportagem veiculada pela RBS TV na noite deste domingo mostrou voluntários e soldados do Exército que trabalham na Vila Germânica, em Blumenau, no Vale do Itajaí, furtando roupas e mantimentos doados para às vítimas da enchente que atingiu Santa Catarina. As imagens mostraram pessoas saindo com o carro cheio de donativos.Os furtos ocorreram no Pavilhão 1 do Parque Vila Germânica, que é administrado pelo governo catarinense. O local funciona como uma central de triagem de produtos doados do Brasil inteiro.

Havia duas maneira de levar o material destinado aos flagelados das cheias. A primeira ocorria logo que os caminhões chegavam com os donativos. Os soldados descarregavam os produtos e empurravam para um monte. Outro grupo experimentava o material e, se servisse, colocava dentro de mochilas. Em seguida, saíam normalmente com mochilas cheias.

A reportagem gravou o seguinte diálogo entre os soldados:

— O que tu vai fazer com esse sutiã aí, véio? — pergunta um deles.

— Vou levar pra minha mãe. Esse eu peguei pra minha namorada — responde o colega.

O grupo aparece pegando roupas, tênis e outros objetos. Cada um sai com pelo menos duas mochilas cheias. O outro grupo que furtava os donativos eram os voluntários e os conhecidos deles. Eles chegavam de carro e selecionavam o que agradava.

As imagens mostraram uma mulher empurrando um carrinho de supermercados até o automóvel. Enquanto ela descarregava os produtos no porta-malas, o marido chegava com mais mantimentos.

As imagens foram feitas com uma microcâmera na última sexta-feira pelo cinegrafista Edson Silva. Somente os produtos de melhor qualidade eram desviados.

“Estarrecedoras”
O tenente-coronel Edson Rosti, comandante do 23º Batalhão da Infantaria (BI), classificou as imagens como “estarrecedoras” e afirmou que não deixam dúvidas do que aconteceu. Ele declarou que o 23º Batalhão de Infantaria (BI) vai apurar e o relatório será apresentado em 20 dias. Um inquérito policial militar deve ser instaurado.

O secretário de Desenvolvimento Regional de Blumenau, Paulo França, disse que vai mudar a estrutura de trabalho do pavilhão 1 da Vila Germânica para evitar os furtos. Ele falou que, se for preciso, vai contratar pessoas para fazer o serviço.

Para ver a reportagem que foi ao ar clique aqui.

Vi no site do jornal Zero Hora

BHTrans e Google: Rotas de ônibus disponíveis na Internet

Clarissa Carvalhaes para o Hoje em Dia

Os usuários do transporte rodoviário coletivo de Belo Horizonte terão a vida facilitada a partir de hoje. Uma parceria entre a BHTrans e a Google Mapas oferece aos internautas a possibilidade de se locomoverem de ônibus na capital utilizando uma nova ferramenta, o “Como Chegar”. O link do site www.google.com.br/mapas pode ser acessado pelo computador ou pelo celular.

O grande diferencial do programa é a busca de rotas por referências turísticas ou comerciais. Não é necessário saber o número ou nome da rua ou avenida. Basta usar como referência o nome de um parque ou de um estabelecimento comercial próximo de onde se quer chegar.

Além disso, o internauta pode escolher se quer ir ao destino a pé, de carro, ônibus ou metrô. Se a opção desejada é o transporte público, o site apresenta quais as linhas são ideais naquele momento, identificando o tempo estimado de locomoção, freqüência da linha e até o preço da passagem.

Segundo o presidente da BHTrans, Ricardo Mendanha, a solução para desafogar o trânsito da capital passa por melhorias no transporte público. “A ferramenta da informação é fundamental. Pesquisas que a BHTrans tem feito mostram que parte das pessoas não usam o transporte coletivo por falta de informação”, disse.

Meta é captar usuários
Mendanha frisou que uma parte significativa dos usuários não conhece o sistema de transporte e tem dificuldades para utilizá-lo. “A apresentação desta ferramenta é mais um passo para aumentar o número de usuários. Com isso, estaremos melhorando a qualidade de vida das pessoas e da própria cidade”.

Mendanha disse ainda que a ferramenta é um presente para a população e para Belo Horizonte. “A capital mineira, que está completando 111 anos, está entre as primeiras cidades da América Latina a oferecer esse tipo de serviço ao usuários, melhorando a vida dos belo-horizontinos”, comentou.

O presidente da BHTrans garantiu que a frota de veículos das 287 linhas que integram o sistema será aumentado para atender os futuros usuários. Segundo o gerente de produtos da Google Brasil, Marcelo Quintella, da construção do programa ao seu funcionamento se passaram aproximadamente cinco meses e foi conduzida pela BHTrans, a São Paulo Transporte S.A. (SPTrans), a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e a própria Google. “Todos os envolvidos cederam os recursos tecnológicos. Não houve nenhuma negociação ou acordo financeiro”, disse.

Para o presidente da Google Brasil, Alex Dias, há interesse em trabalhar com outras cidades. Mas, por enquanto, o site oferece o serviço apenas em São Paulo e Belo Horizonte, escolhidas estrategicamente. “As cidades foram definidas porque são metrópoles importantes e parceiros maduros. Elas têm um transporte coletivo eficiente, que corresponde com as expectativas do projeto e que tem por objetivo incentivar a não utilização do transporte particular”, afirmou.

Segundo Dias, a ferramenta foi criada para reunir informações e imagens que facilitarão a vida dos usuários. “A inclusão de rotas de transporte público torna o Google Mapas mais relevante para os usuários brasileiros”, disse.

Para ele, o “Como Chegar” é uma ferramenta que facilitará a vida dos usuários, com a possibilidade de acesso por computadores e celulares. “Torna-se ainda mais útil para quem está nessas metrópoles”, concluiu.

As rotas de transporte estão disponíveis em outras 75 cidades do mundo, nos Estados Unidos e Europa.

Amigo-oculto nos tempos da Internet

Nalu Saad para o Hoje em Dia

Papelzinho, cumbuca, dificuldades em agendar uma data para sorteio e repetir a retirada dos “nomes” porque alguém ficou de fora ou tirou ele mesmo. Pensou em amigo oculto (ou secreto)? Esqueça! A tradicional brincadeira nas festas de fim de ano pode estar livre desses contratempos se organizada por meio da Internet, com ajuda de sites desenvolvidos exclusivamente para esse fim.

Há três anos, a equipe de Vendas Corporativas da Claro recorre ao serviço para organizar o Amigo Secreto que marca a confraternização de Natal. “Somos cerca de 30 pessoas que atuam em vários estados e seria difícil reunir todos para o sorteio”, conta o coordenador da área Alessandro Bibiano Freitas e completa: “Um tinha que tirar para o outro e isso quebrava o mistério.”

Outra vantagem, segundo Freitas, é que o sistema também indica a melhor ordem para a revelação dos amigos-ocultos. “Dessa forma, o primeiro a contar o nome de seu amigo será o último a receber o presente.”

A maioria dos sites que oferece o serviço não cobra taxas e ainda indica os presentes ideais para cada perfil. As regras também são similares. Um responsável pelo grupo cadastra-se, cria o grupo, especifica datas de sorteio e revelação, define faixa de preço do presente e pode aceitar ou recusar pessoas que queiram se juntar ao grupo. Alguns sites também automatizam o envio dos convites (por e-mail) aos potenciais participantes da brincadeira.

Outro serviço em crescimento na Web é o envio de mensagens ao amigo secreto sem que ele descubra a identidade do rementente. Para completar, há sites que, a partir das informações sobre o perfil do amigo-secreto, indicam presentes ideais na faixa de preço pretendida.

Prêmios
Na carona da fama da brincadeira, a agência Bullet criou para a Olympus o concurso cultural “Amigo-Secreto Olympus”, que permite que internautas de todo o Brasil troquem presentes virtuais. Os presentes mais originais ganharão uma câmera Olympus.

Para participar basta se inscrever até o dia 16 de dezembro no hotsite da ativação. Na sequência, ocorrerá o sorteio randômico entre todos os participantes. Será enviado por e-mail o amigo-secreto de cada um, assim como o endereço de acesso ao site para que possa conferir o perfil e mais informações do seu amigo-secreto. Então, é só colocar a imaginação para funcionar.

Charge do Dia

nani

Consumidor aproveita prechinchas no comércio

Paula Takahashi e Marinella Castro para O Estado de Minas

carro-novo
O momento pode ser incerto e o futuro da economia, ainda mais nebuloso, mas de uma coisa o consumidor pode estar certo, o mercado está fazendo o que pode, e, em alguns casos, o que não pode, para manter o aquecimento das compras, seja no comércio, no financiamento habitacional, seja no de carros. Redução em até 50% do valor das mercadorias para quem antecipar as compras, cupons premiados e até a manutenção de parcelamentos estendidos, sem juros, estão valendo para garantir crescimento nas vendas.

“A hora certa de comprar é agora. O dólar subiu 35%, mas a alta não será repassada ao consumidor. As promoções estão mantidas e os prazos também”, anuncia Ricardo Nunes, dono da rede mineira de eletrodomésticos Ricardo Eletro. Ele completa o recado inflamado dizendo que o mesmo não poderá ser mantido para o ano que vem. “Quem pensa que os preços vão cair está enganado. No ano que vem, os reajustes serão inevitáveis”, admite.

As promoções como apelo de vendas vale para todos, independentemente do tamanho do negócio. Marcelo Mazuhy é dono da Villa Kids, loja infantil, localizada nos bairros Buritis e Funcionários. Para não deixar o cliente escapar, a loja lança promoções semanais com produtos diversificados. Esta semana o tênis infantil variando de R$ 37 a R$ 40 pode ser levado por R$ 27,90. “As promoções vão durar até o dia 24”. Na rede de lojas Toulon, especializada no público masculino, quem antecipar as compras pode parcelar a conta por mais vezes e ainda levar alguns itens com até 50% de desconto. Uma estratégia que já começou a funcionar, segundo o gerente Giovani Joaquim da Silva.

tv-nova 

Feliz por realizar o sonho perseguido há um ano e sem preocupações com a crise mundial, a família do auxiliar de produção Elio Rubens da Silva foi ontem comprar a TV Phillips LCD de 32 polegadas. “A TV é o presente de Natal para minha esposa. A criança já ganhou roupas e brinquedos. O dinheiro que sobrou será para a ceia do Natal. Não me preocupo com esta crise porque estou trabalhando”, diz Elio, que dividiu a compra em 12 parcelas fixas de R$ 115. Segundo Ricardo Nunes, as compras acima de 10 parcelas têm taxa de juros média de 3,99% ao mês.

No Magazine Luiza, até o Natal haverá distribuição de cupons que atraem o consumidor com a oferta de prêmios. A loja informa que as linhas de empréstimo pessoal, parcelamento no cartão de crédito e consórcio continuam valendo para quem não pode pagar à vista.

A doméstica Elisete de Fátima comprou ontem o seu presente de Natal, uma TV de 29 polegadas, no valor de R$ 660, que vai pagar em três parcelas. “Ainda vai sobrar R$ 200 para viajar no Natal.” Elisete também não está preocupada com a crise, mas comenta que o risco é a vida ficar mais cara.

Um dos mais afetados pela queda do consumo, o setor automobilístico, além de flexível às negociações e descontos, ainda aumenta o pacote de ofertas de opcionais e cortesias oferecidas ao cliente, tudo para garantir o fechamento do negócio. Mauro Pinto de Moraes, presidente do Sindicato de Concessionários e Distribuidores de Veículos Automotores de Minas Gerais (Sincodiv-MG), explica que as montadoras estão abrindo mão de duas estratégias para chamar a atenção. Uma delas são as taxas de juros subsidiadas. “As taxas estão menores hoje do que estavam em setembro, antes do fortalecimento da crise”, afirma Mauro. Outra medida é a oferta de mais atrativos na mesa de negociações para agradar o cliente. “Tem também as menores entradas no pagamento que chamam a atenção”, ressalta.

Tudo isso sem contar os preços dos veículos, que estão menores do que antes. “Estamos abertos a qualquer negociação. É a chance para fazer um grande negócio”, garante Carlos Alberto Vanselow, diretor de vendas das concessionárias Roma. Oportunidade que a operadora de financiamentos Rita de Cássia não perdeu. “É a primeira vez que compro um carro e ganho tantos benefícios. Para quem está interessado em comprar, este é o momento”, garante Rit,a que comemora os R$ 4 mil de desconto, mais o insulfilm, IPVA e emplacamento que ganhou no momento da compra. “Quando a taxa estava boa, eu nunca teria ganhado tanto desconto e benefícios. No fim das contas, acabei saindo no lucro e ainda fiz um ótimo negócio”, avalia.

Carros de segunda mão, porém, não vivem o seu melhor momento no mercado. “No caso dos usados, a coisa está ainda pior porque eles estão, no mínimo, 20% mais baratos. Para quem compra, é um momento muito propício, mas muitas concessionárias já não aceitam esses veículos na troca porque estão com o pátio cheio”, afirma Mauro.

Fotos: Jorge Gontijo/EM/D.A Press – Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

Ceia de Natal fica até 30% mais cara com preços variando em até 309%

Nice Silva, Especial para o Hoje em Dia

A ceia de final de ano deve ficar entre 20% e 30% mais cara, calculam comerciantes. Todos os produtos importados e, portanto, com preços vinculados ao dólar, sofreram com a elevação da moeda norte-americana a partir do mês de setembro. De janeiro a novembro deste ano, o dólar acumula um aumento na cotação de 35,59%. Até as brasileiríssimas castanhas de caju e do Pará, que têm os preços influenciados pelas exportações, aumentaram entre 15% e 20% e se igualaram ao encarecimento das tâmaras, das castanhas chilenas, dos damascos turcos ou do pistache iraniano.

Segundo pesquisa divulgada ontem pelo site Mercado Mineiro, a diferença entre os preços praticados na semana passada e a última semana de novembro de 2007 pode chegar a 61%, caso da ameixa importada. As nozes (35%) e as avelãs (18%) também ficaram mais salgadas.

Mesmo com a alta de preços imposta pela desvalorização do real, no entanto, continua valendo a pena bater perna para pesquisar. O quilo da castanha do Pará, por exemplo, pode variar de R$ 8,90 a R$ 38,99, uma variação de 338,08%, segundo a pesquisa.

No Mercado Central, o bacalhau mais vendido, o saith, tem preços que variam entre R$ 16,90 e R$ 25 o quilo. Já a variedade mais cara, o bacalhau do Porto, pode ser encontrado de R$ 39,90 a R$ 69,80 nas lojas especializadas e supermercados, uma diferença de 78,97%.

Mas o consumidor anda estranhando o sal do bacalhau. O comerciante Geraldo Henrique Lopes, do empório Amanda, diz que há uma semana baixou o preço do corte sem pele e espinhas, de mais de R$ 78 para pouco mais de R$ 70.

Também baixou outro corte mais barato, de R$ 48,90 para R$ 46,90. Ele diz que as medidas tiveram pouco efeito, e o movimento continua fraco , e se queixa também da especulação dos importadores: “eles vendem, mas não entregam”, conta, referindo-se aos atacadistas paulistas dos quais ele compra e que estariam segurando a mercadoria, de olho no vaivém do dólar e na proximidade das festas de fim de ano. Segundo Lopes, o preço do bacalhau pode subir ainda mais nos próximos dez dias.

O comerciante Cleisson Valadares, do Empório Valadares, afina o coro com Lopes. “É claro que eles especulam, porque a cada dia que a gente consulta, o preço sobe acompanhando a cotação do dólar”, observa.

Mas o vendedor Gesivaldo Santiago, da Minas Caju, acha que o preço do bacalhau já se estabilizou. “Os importados variam de acordo com a onda do dólar, mas parece que a moeda já conseguiu uma certa estabilidade, por isso o bacalhau não deve mais subir”, defende.

O gerente do Império dos Cocos, Alexandre Cândido, garante que a crise não elevou o preço do bacalhau que ele vende. “Tinha feito estoques entre julho e agosto e espero manter o preço até encerrar o ano”, diz.
Cândido avalia que o consumo do bacalhau vem passando por mudanças de uns 13 anos para cá. “Atualmente, até restaurantes de comida a quilo têm o bacalhau no cardápio, e o consumo do final de ano que era pequeno há alguns anos, já chega a ser cerca de 80% do que é consumido no período da Quaresma”, explica.

No Império das Azeitonas, as graúdas e as castanhas de caju tiveram elevação de 27% há um mês e meio e ficaram nas alturas. Mas o comprador Dulcinei de Souza Silva não se abala e assegura que a freguesia se mantém fiel. “Não faço estoque. O preço pode estar alto, mas o freguês sabe que aqui ele tem garantia de encontrar mercadorias novas”, diz.

Entre lojas, a variação dos preços justifica, e muito, a pesquisa. O quilo de passas, por exemplo, varia 309,52%, com a preços entre R$ 3,15 e R$12,90. Já o quilo das amêndoas variou de R$ 19,58 até R$ 62,49 na semana passada, uma diferença de 219,15%. entre os estabelecimentos.

Para o quilo das nozes sem casca foram encontrados preços entre R$ 45 e R$93,90, o que representa uma variação de 108,66%. Já o quilo da ameixa seca com caroço registrou uma variação de 74,41%, com o menor preço encontrado a R$ 8,99 e o maior de R$ 15,68 . Confira a pesquisa na íntegra em www.mercadomineiro.com.br. (Colaborou Cássia Eponine)

Revista Placar chega congelada aos assinantes

caixa-sol-placar-congelada

Entre hoje (01/12) e amanhã (02/12), um mailing selecionado receberá a edição de dezembro da Revista Placar congelada. A ação é uma iniciativa da cerveja SOL criada pela agência Fischer América.

Para viabilizar a idéia, que integra a nova campanha de verão da marca, foi montada uma operação especial neste último fim de semana. Ao sair da gráfica, as revistas foram embaladas com uma película plástica duplamente reforçada e depois enviadas para um galpão de manuseio, onde foram congeladas em um molde feito sob medida. Em seguida foram acondicionadas em uma caixa de isopor especial, fechada com uma cinta, para finalmente começar o processo de distribuição aos assinantes, em carros frigoríficos.

Ao abrir a embalagem, o leitor verá a revista em um bloco de gelo e um texto com as instruções de como descongelar a revista para leitura

Fonte: Aletp

Governo teme que procurador-geral denuncie o ministro Mares Guia

mensalaomineiro.jpgPor João Domingos, no Estadão On Line:
Há uma apreensão muito grande no governo com a possibilidade de o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, denunciar o ministro das Relações Institucionais ao Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta participação no esquema de arrecadação de dinheiro montado em 1998 para a campanha à reeleição do então governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB), hoje senador. O esquema, que teve a participação do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza — o mesmo do escândalo do mensalão do PT, estourado em 2005 — ficou conhecido por “mensalão mineiro”.

De acordo com inquérito da Polícia Federal, o esquema teria arrecadado mais de R$ 100 milhões à custa do desvio de dinheiro público e de estatais. Para a PF, foi o embrião do maior escândalo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, que acabou por envolver a cúpula do PT. A denúncia do procurador da República contra os envolvidos neste último escândalo possibilitou ao STF abrir processo contra 40 pessoas, entre elas os ex-ministros José Dirceu, Luiz Gushiken e Anderson Adauto.

O temor do Palácio do Planalto com um novo escândalo deve-se ao fato de que a denúncia do procurador da República contra um ministro não só o enfraquece como atinge o próprio governo. Mares Guia tem como uma de suas funções estratégicas o estreitamento de laços entre o governo e o Congresso. É ele que negocia com cada um dos 513 deputados e 81 senadores a liberação das emendas parlamentares e que trata das nomeações de políticos indicados para cargos em estatais, segundo escalão e até ministros.

De acordo com informações de auxiliares de Lula, ao ser convidado ainda no primeiro governo para ser ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia teria contado ao presidente que a PF estava fazendo uma investigação em sua vida. Disse que não tinha nenhum envolvimento com caso algum, porque, ao contrário do que a PF afirmava na sua investigação, não havia sido coordenador da campanha de Eduardo Azeredo em 1998, mas em 1994.

Conforme as informações de Mares Guia a Lula e a outros ministros, o coordenador da campanha de Azeredo em 1998 era Carlos Eloy e o coordenador financeiro Cláudio Mourão. Mares Guia disse a Lula que é amigo de Eduardo Azeredo e que, como correligionário, e acima de tudo amigo, o ajudou no segundo turno das eleições, vencidas pelo então candidato do PMDB, Itamar Franco.

Ainda de acordo com os esclarecimentos de Mares Guia a Lula, ele chegou a fazer empréstimos pessoais para Azeredo, para tapar buracos de campanha. Numa destas vezes, disse o ministro ao presidente, o dinheiro foi depositado numa das contas da SMPB, uma das empresas de Marcos Valério. Essa empresa apareceu durante todo o escândalo do mensalão do PT e Simone Vasconcelos, sua gerente financeira, era quem repassava dinheiro vivo a deputados e assessores que iam buscá-los em quartos de hotel ou na agência do Banco Rural no Brasília Shopping, em Brasília.

Valerioduto mineiro será denunciado em breve

De Alan Gripp em O Globo, hoje:
“A equipe do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, já trabalha na redação final da denúncia que será oferecida nos próximos dias à Justiça contra os envolvidos no chamado valerioduto mineiro — esquema que teria injetado recursos milionários de caixa dois na campanha do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ao governo de Minas, em 1998, como mostrou reportagem do GLOBO em 2005.

Já é dado como certo que Antonio Fernando denunciará Azeredo, Marcos Valério (o mesmo do mensalão do PT) e dezenas de beneficiários do dinheiro distribuído por intermédio de agências de Valério. Caso o procurador leve em consideração o conteúdo integral do relatório da Polícia Federal, também poderá fazer parte dessa lista o atual ministro das Relações Institucionais do governo Lula, Walfrido dos Mares Guia.

No documento da PF, Walfrido é acusado de movimentar, através da Samos Participações Ltda, às vésperas das eleições de 2002, somas de dinheiro incompatíveis com a capacidade financeira da empresa, de sua propriedade. Parte desses recursos (R$ 507 mil) foi usada para saldar uma suposta dívida da campanha de Azeredo, herdada de 1998, com Marcos Valério. Por intermédio da Samos, Walfrido contraiu um empréstimo no Banco Rural — acusado de financiar tanto o valerioduto tucano quanto o petista, montado a partir de 2003. A PF pede a quebra de sigilo da empresa para rastrear a origem do dinheiro.”

Manchetes do Dia (18/09)

Jornal de Notícias: Norte perde 36 mil habitantes

O Tempo: Idosa morre de infarto em golpe do falso seqüestro

Hoje em Dia: Conta de luz e comida são 41% do gasto mensal

Estado de Minas: Perigo no trânsito de BH