Archive for the ‘Belo Horizonte’ Category

Milagre de Natal: Bebê nascido após atropelamento da mãe está em estado grave

milagrenatal

Elaine Resende – Portal Uai 

Está internado em estado gravíssimo o bebê prematuro socorrido na noite dessa segunda-feira no Hospital Odilon Behrens. A mãe do recém-nascido, de sete meses e meio, morreu atropelada por um ônibus no bairro Aeronautas, em Lagoa Santa, na Grande BH.

Os bombeiros foram acionados e contaram que, no momento do acidente, a barriga da gestante se rompeu, o que provocou o “parto” repentino. Marlene Martins de Oliveira, de 34 anos, morreu no local.

A assessoria do hospital informou que o bebê deu entrada às 19h34 dessa segunda, pesando 1,780 kg. O quadro de saúde do menino é grave e ele está internado no CTI infantil. O recém-nascido precisa ser submetido a uma tomografia, mas os médicos aguardam porque até o transporte dele é uma operação delicada.

Ainda não se sabe se há uma lesão na cabeça e suspeita-se que ele tenha sofrido uma fratura na perna. A criança também está com diversas escoriações pelo corpo. Ainda conforme a assessoria, uma médica teria dito que a “criança também foi atropelada, daí a gravidade da situação”.

O menino passou por exames de rotina e se alimenta por meio de uma sonda. De acordo com a assessoria, até as 11h desta terça-feira, nenhum familiar havia procurado o hospital.

Anúncios

Homem é morto em BH por pisar no pé de PM

Familiares, amigos e vizinhos de Cláudio Eustáquio protestaram contra o crime e pediram justiça

Familiares, amigos e vizinhos de Cláudio Eustáquio protestaram contra o crime e pediram justiça

Pedro Rocha Franco para o Estado de Minas

O assassinato do mecânico Cláudio Eustáquio da Silva, de 39 anos, que segundo testemunhas levou um tiro na barriga por ter pisado no pé de um sargento da Polícia Militar, revoltou parentes e vizinhos dele na Vila São José, na Região Noroeste de Belo Horizonte. Domingo, durante o sepultamento no Cemitério da Paz, houve protesto. O crime foi às 16h47 de sábado, em um bar da Praça São Vicente com Avenida Ivaí, no Bairro Padre Eustáquio, na mesma região. A primeira versão da PM é de que a vítima tentou assaltar o cabo Ednaldo Nogueira Borges, de 35 anos, que estava em companhia de um sargento, cujo nome não foi divulgado. Borges teria reagido, sacado a arma e atirado. Os militares trabalham no 34º Batalhão da PM e estavam à paisana no bar, bebendo e comendo feijão tropeiro. A própria PM assumiu as investigações do homicídio.

De acordo com uma vizinha da vítima, que pediu para não ser identificada temendo represália, o mecânico era honesto, trabalhador e tinha passado no bar para tomar uma cerveja, depois de receber seu 13º salário. “Era a pessoa mais honesta do mundo, de uma dignidade surpreendente, casado e com dois filhos”, lamentou. Segundo ela, Cláudio comentou com os amigos que ia sair para apostar no jogo do bicho e pisou no pé do policial sem querer. “Ele pediu desculpas, mas o sargento não aceitou. Eles discutiram e o cabo sacou a arma e atirou”, disse a vizinha, que junto a outros moradores fez faixas e cartazes de protesto. Cláudio chegou a ser socorrido no Hospital Alberto Cavalcante e transferido para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), mas não resistiu ao ferimento e morreu.

O comandante do 34º Batalhão da PM, tenente-coronel Cícero Nunes Moreira, disse que o cabo Ednaldo Borges foi preso em flagrante e está recolhido na própria unidade onde trabalha. Para o tenente-coronel, o militar contou que o mecânico entrou no bar meio transtornado e pisou no pé do sargento. “O sargento achou que fosse uma brincadeira e falou alguma coisa com o rapaz, que saiu e voltou logo em seguida, dando uma trombada no sargento e agarrando-o pelo pescoço. O cabo se identificou como policial e mandou o sujeito parar. O homem, que era muito forte e tinha cerca de 1,90m de altura, viu a arma na cintura no cabo e tentou tomá-la. Os dois brigaram pela posse da arma, que disparou acidentalmente”, disse o comandante. O cabo arrolou o sargento e outras duas pessoas do bar como testemunhas, segundo Cícero Nunes.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, o mecânico conseguiu sair do bar e caiu na rua, sendo socorrido pelos próprios PMs, que pediram uma ambulância. “O sargento tentou reanimar o mecânico, fazendo massagens cardíacas”, disse o comandante, ressaltando que foi feito o auto de prisão em flagrante e encaminhado à Justiça Militar. A arma, que pertence à corporação, foi apreendida. O cabo, segundo Cícero Gomes, foi submetido a exames toxicológico, de corpo de delito e residuográfico, para detectar presença de pólvora nas mãos. “Ednaldo reagiu em defesa do colega. Ele mesmo declara que o tiro foi acidental”, disse Cícero. 
 
Foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

Reebok é a nova fornecedora do Cruzeiro

 

Antônio Claret Nametala comemora crescimento da linha de produtos com a chegada da Reebok ao Cruzeiro

Antônio Claret Nametala comemora crescimento da linha de produtos com a chegada da Reebok ao Cruzeiro

  
 A empresa inglesa Reebok é a nova fornecedora de material esportivo do Cruzeiro. O contrato foi assinado na tarde desta quarta-feira, em Belo Horizonte, e terá duração de três anos.

A Reebok substituirá a alemã Puma a partir de 1º de janeiro e pagará ao Cruzeiro cerca de R$ 8 milhões por ano, mais que o dobro do acordo anterior, sendo a metade em material esportivo para o elenco profissional e as categorias de base.

O diretor de marketing Antônio Claret Nametala se esquivou ao confirmar os valores, mas mostrou-se realizado com a nova parceria. “Posso dizer que é muito melhor, um pouco mais que o dobro do que tínhamos com a Puma. Vamos sair de 32 mil itens para 60 mil itens na nossa linha. Foi muito bom”.

O novo uniforme deve ser lançado na primeira quinzena de janeiro. A estréia oficial será no Torneio de Verão no Uruguai, nos dias 17 e 21. O Cruzeiro enfrentará o Atlético na primeira data e, em seguida, disputará o título ou o terceiro lugar contra Nacional ou Peñarol do Uruguai.

O Cruzeiro será o terceiro clube brasileiro a se vestir de Reebok em 2009. A fornecedora deixou o Vasco da Gama e manteve as parcerias com Internacional e São Paulo. “Espero que os títulos desses dois clubes venham para o Cruzeiro”, brincou Claret.

A Reebok poderá abrir novas lojas oficiais do Cruzeiro em Belo Horizonte e no interior de Minas. A empresa também investirá na exposição da marca do clube no Brasil e no exterior.

Antônio Claret Nametala confirmou que o Cruzeiro também negociava com a alemã Adidas. “Faltava uma autorização da Alemanha, essa autorização não chegou. Depois foi feita uma proposta alternativa, daqui do Brasil, mas não era o que a gente gostaria. Como o contrato com a Reebok já era muito superior ao da Puma, o presidente Zezé me autorizou a bater o martelo”.

Fonte: Portal Uai / Foto: Arquivo Estado de Minas

Homem é preso em BH por agredir a mãe de 85 anos

Rafael Passos – Portal Uai 

Um homem foi preso na noite desta quarta feira porque teria batido na própria mãe de 85 anos em Belo Horizonte. O caso de violência doméstica ocorreu na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Primeiro de Maio, na Região Norte da capital.

Informações do guarda municipal Diógenes Martins dão conta de que Raimundo Francisco Soares, de 50 anos, agrediu Maria Joana de Souza no banheiro da unidade, onde ela está internada há cinco dias. Segundo o agente, funcionários da enfermagem ouviram gritos da mulher e acionaram a Guarda Municipal.

Aos guardas, Raimundo Soares não soube explicar o motivo da ação violenta. Mesmo assim, ele acabou preso. “Encontramos os dois no banheiro. Ela estava sentada em uma cadeira de rodas, com um aranhão no braço esquerdo”, relatou Diógenes Martins.

De acordo com Diógenes, Maria de Souza foi vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) e sofre de anemia e desidratação. Ela aguarda transferência para um dos hospitais da rede pública de BH.

Raimundo Soares foi conduzido à 7ª Seccional de Venda Nova para prestar depoimento, enquanto a mãe dele permanece na UPA Primeiro de Maio.

Chuva alaga e faz pelo menos 2 mortos em BH

 


A forte chuva que atingiu a Região Metropolitana de Belo Horizonte entre a noite de domingo e a manhã de ontem deixou pelo menos duas vítimas – as primeiras em decorrência das águas deste período. Pelo menos mais uma morte pode estar ligada à precipitação, que deixou o trânsito travado nas principais vias da RMBH. O Ribeirão do Onça subiu em vários trechos, e invadiu as casas no Bairro São Tomaz, Noroeste de BH. Além dos engarrafamentos, a chuva também trouxe problemas para quem queria chegar ou sair da capital de avião.

Em Confins, dos 72 vôos programados, 47 (63,3%) tiveram atrasos de mais de uma hora, e 18 (25%) foram cancelados. Na Pampulha, dos 27 previstos, 18 (25%) tiveram atrasos e seis (22%) foram cancelados. Entre os principais pontos de engarrafamento do cidade está a Avenida Cristiano Machado, inaugurada na semana passada, onde vários pontos de inundação colaboraram para um verdadeiro nó no trânsito.

A previsão é de mais chuvas para RMBH e grande parte do Estado até amanhã. De acordo com o Inmet, só entre a noite de sexta-feira e ontem foram registrados 120 milímetros, a metade do esperado para todo o mês. Há 20 anos a capital não via tanto volume de água em tão pouco tempo.

Fontes: Estado de Minas e Hoje em Dia

Fotos: Euler Júnior/EM/D.A Press / Renato Weil/EM/D.A Press

Processos ameaçam 15 prefeitos eleitos em MG

Chico Ferramenta (PT), de Ipatinga, é um dos 15 prefeitos eleitos que podem ser diplomados com restrições
Chico Ferramenta (PT), de Ipatinga, é um dos 15 prefeitos eleitos que podem ser diplomados com restrições

Márcio de Morais para o Estado de Minas 

Em 15 municípios de Minas a diplomação do prefeito, a ser feita até quinta-feira, será apenas um prenúncio de que alguns eleitos podem até ganhar o documento oficial do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas não levar o mandato. Em outras duas, é o vice-prefeito que corre o risco de perder o cargo.

O caso mais conhecido é do petista Chico Ferramenta, de Ipatinga (Vale do Aço), que, apesar de ter sido o mais votado na sua cidade, responde a ação de impugnação de registro de candidatura, inelegibilidade e rejeição das contas do município, relativas a mandatos anteriores. A diplomação é de responsabilidade dos 349 juízes eleitorais que atuam nas comarcas de todo o estado. Em Nova Serrana, o prefeito eleito Paulo César Freitas (PDT) deveria ter sido diplomado. Por causa de pendências junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a cidade pode ter que realizar novas eleições.

O objetivo da diplomação é tornar o candidato apto a assumir, no próximo dia 1º de janeiro, o mandato político de quatro anos para o qual foi escolhido pelos eleitores. Entre os candidatos que estão com a diplomação sob risco, há casos, como o da cidade de Mendes Pimentel, em que o prefeito eleito, José Carmo de Souza, responde por faltas cometidas na “vida pregressa”. O resumo do processo disponibilizado pelo TRE não informa que falta é ou qual a sua gravidade.

Em Divisa Alegre, tanto prefeito quanto seu vice respondem também por “abuso de direito” e substituição de candidatura, em que o registro foi indeferido por troca de candidato às vésperas da eleição.

Nos 17 municípios, os prefeitos ou vices podem ser diplomados pelo TRE com restrições e a posse definitiva no cargo, não acontecer. O mandato de cada um deles está na condicional – podem não ser confirmados pela Justiça Eleitoral. Seus diplomas podem até sair, mas estão sub judice e poderão ainda ser retirados dos seus titulares, caso os processos que respondem na Justiça Eleitoral não lhes sejam favoráveis. Por ser a diplomação um processo descentralizado, o TRE não sabe informar, por exemplo, quantos vereadores estão sob risco de não obter diploma e assumir o mandato.

O TRE explicou na segunda-feira que, para um candidato ser diplomado, o seu registro tem de obter a devida aprovação (deferimento) do tribunal. Esse deferimento pode ser provisório e, estando sub judice, ser cassado pela Justiça a qualquer tempo, até mesmo momentos antes da diplomação. O indeferimento do registro implica, de acordo com orientações do TSE encaminhadas ao TRE na última semana, na não-diplomação do eleito. Mas, por princípios constitucionais que asseguram direito de defesa, uma sentença provisória (liminar) ou mesmo definitiva, de última instância, poderá restabelecer o direito de diplomação a um candidato indeferido, dando-lhe condições legais de assumir o mandato até mesmo fora da data oficial do calendário eleitoral.

Para evitar que os prefeitos cujos mandatos estão sob discussão judicial não sejam previamente condenados pela opinião pública, o TRE afirmou que não informa a situação atual do registro de cada um, se foram deferidos, se o deferimento ainda depende de confirmação ou se foram indeferidos. “A situação pode ser revertida com uma liminar e, mesmo indeferido pelo TRE, o eleito obter o direito à diplomação”, explicou ao Estado de Minas um observador credenciado do processo eleitoral em Minas.

Opções
Segundo o TRE, há várias alternativas possíveis para esses processos. A primeira é a não-diplomação. Se um candidato obtém menos de 50% dos votos válidos, o TSE impede a diplomação. Nesse caso não são contabilizados os votos nulos das urnas. O tribunal tem a opção de diplomar o segundo colocado. Outra opção é a posse do presidente da Câmara Municipal, no caso de a chapa (prefeito e vice) mais votada ser integralmente impugnada. Isso só será feito, no entanto, após a posse dos vereadores e a conseqüente escolha do novo presidente do Poder Legislativo local.

Caso nenhuma dessas opções seja possível, cabe ao TRE convocar novas eleições no prazo de 20 a 40 dias. “Como não há agenda para a convocação de novas eleições este mês, uma nova eleição só vai acontecer no ano que vem”, esclareceu o mesmo observador.

Em pelo menos um município mineiro, no entanto, a Justiça Eleitoral já decidiu que haverá novas eleições majoritárias, antes mesmo de proclamar os eleitos. É a cidade de Fronteira dos Vales (entre o Jequitinhonha e o Mucuri). Por quatro votos a um, o TRE mineiro decidiu semana passada pela realização de novo pleito em Fronteira dos Vales.

A data não foi confirmada, pois depende da aprovação do calendário eleitoral pelo TRE. Os candidatos a prefeito e vice locais tiveram seus registros cassados pelo juiz da 4ª Zona Eleitoral de Águas Formosas, Emerson Chaves Motta, sob acusação de distribuição de brindes e promoção de churrasco para os eleitores. 
 
Foto: Cristina Horta/EM/D.A press(26/5/08)

Atraída pelo Orkut, mineira passa 9 dias em cárcere privado no Rio

Patrick estava com a namorada em barraco na Favela da Pavuna

Patrick estava com a namorada em barraco na Favela da Pavuna

Patrícia Rennó para o Estado de Minas

Medo, angústia e sofrimento foram os sentimentos de uma auxiliar de enfermagem de Varginha, no Sul de Minas, durante nove dias, enquanto mantida como refém pelo próprio namorado em uma favela no Rio de Janeiro. Depois de investigações, a Polícia Civil identificou o cativeiro e libertou a mulher na manhã de terça-feira, prendendo o seqüestrador em flagrante.

Segundo a polícia, C.C.V., de 32 anos, conheceu Patrick Leandro Ferreira, de 23, que usava o nome falso de Carlos Eduardo, o Cadu, e morava no Rio, num site de relacionamentos. Os dois marcaram um encontro em Varginha e namoraram durante três meses.

O delegado Otávio Miari Branquinho, de Varginha, informou que o rapaz chegou a conhecer os pais da moça e até se hospedou na casa deles. Em 29 de outubro, Carla e Patrick foram juntos para o Rio. Segundo a família, ela abandonou o emprego em um posto de saúde em Três Pontas, para acompanhar o rapaz, e não voltou mais para Minas. No dia 3, Patrick ligou para a mãe dela, que mora em Varginha, e ameaçou matar a moça se a família não depositasse R$ 100 mil na conta dela. O dinheiro não chegou a ser entregue pelos familiares. “A jovem chegou a ligar para mãe, chorando e dizendo que o rapaz só a libertaria se fosse pago o resgate”, disse o policial.

Pelo menos 35 policiais do Departamento de Operações Especiais (Deoesp), de Belo Horizonte, e da Divisão Anti-Seqüestro, do Rio de Janeiro, chegaram ao Parque Colúmbia na Favela da Pavuna, por volta das 6h de terça-feira e cercaram uma casa que tinha nos fundos o barraco de dois cômodos, onde a moça estava presa. Como a área da favela é muito perigosa, os agentes tiveram que usar armamento pesado e carros blindados. Sem ter como fugir, Patrick abriu a porta e se entregou. No momento, a vítima dormia em um colchonete no chão e foi socorrida pelos agentes. No local, havia apenas algumas roupas e utensílios domésticos. Segundo a polícia, não foi encontrado nenhum tipo de armamento com o rapaz ou na casa.

O delegado Denilson dos Reis Gomes, do Deoesp, que estava a frente das ações, disse que vizinhos da casa perceberam que estava ocorrendo algo errado e que a mulher ficava o tempo todo trancada, mas não denunciaram o rapaz por medo de retaliações. Durante conversa com o delegado, C.C.V. contou que a todo momento tinha medo de ser morta, já que o rapaz a ameaçava constantemente e dizia que atacaria familiares dela. “Ele chegou a agredi-la diversas vezes. Quando a encontramos, ela estava com uma marca roxa no rosto e tinha um corte na perna, feitos pelo suspeito com uma faca. Essa pode ter sido uma das armas que ele usava para mantê-la no cativeiro”, disse.

Para família, os dias em que C.C.V. ficou em poder de Patrick foi somente de desespero e esperança de que tudo corresse bem. “Ele parecia uma pessoa normal e enganou todo mundo. Estamos felizes com a volta da minha irmã”, ressaltou André Luiz Vieira.

O acusado já tem passagens pela polícia de Belo Horizonte por roubo e será indiciado por seqüestro. Ele e a vítima foram levados pela polícia, do Rio para Varginha, no fim da tarde de terça-feira. O rapaz foi levado para a cadeia de Varginha.

Na opinião do delegado Otávio Miari, o trabalho da polícia foi rápido por causa do apoio da Justiça e do Ministério Público. “A ação conjunta nos ajudou a resolver rapidamente o seqüestro”. Ele alertou que os internautas precisam ter cuidado com quem conversam pela internet, pois esses casos estão cada vez mais freqüentes. 

Confira a reportagem em vídeo da TV Alterosa.

Foto: Lucas Magalhães/Jornal Correio do Sul/Reprodução

Dois crimes com marcas de crueldade chocam MG

Luiz Ribeiro e Fábio Fabrini oara o Estado de Minas 

Dois crimes separados por cerca de 600 quilômetros, mas equiparados em nível de crueldade chocam duas cidades mineiras. Na Região Metropolitana de BH, em um assalto com requintes de covardia, a mãe de um cabo do Corpo de Bombeiros foi queimada, na manhã de sábado, em Brumadinho, depois de ter o corpo encharcado com gasolina. Em Jequitinhonha, a 677 quilômetros da capital, o assassinato de um garoto de 10 anos deixou revoltada a população local e provocou ameaças de linchamento contra o assassino confesso, um adolescente de 17 anos.

No crime registrado na Grande BH, três homens invadiram o sítio em que a vítima passava o fim de semana com o marido, jogaram gasolina em seu corpo e atearam fogo, supostamente para forçá-la a entregar dinheiro arrecadado numa festa religiosa. Até o fim da tarde de sábado, nenhum suspeito havia sido preso.

O crime ocorreu por volta das 6h, numa área de pouco movimento do distrito de Conceição do Itaguá. Os ladrões, armados, arrombaram a casa e renderam o casal Carlos José de Sales, de 58 anos, e Neide Fátima Rezende Fátima, de 54. Enquanto um dos criminosos, encapuzado, vigiava o sítio do lado de fora, os outros dois reviravam tudo. De acordo com a ocorrência da Polícia Militar, eles exigiam o que havia no cofre e a quantia arrecadada na Festa de Nossa Senhora da Conceição, feita pela comunidade católica na segunda-feira. Carlos José ajudou no evento, trabalhando no caixa, mas o dinheiro não tinha sido guardado por ele, tampouco havia cofre na casa.

Frustrado, o homem encapuzado teria achado uma garrafa com dois litros de gasolina e despejado tudo sobre Neide Fátima, com o objetivo de fazer tortura psicológica e descobrir o que procurava. Pouco depois, num momento de maior tensão, ateou fogo à mulher, que teve queimaduras no rosto, costas, braços e peito.

Carlos José e os dois homens que não usavam capuz apagaram o fogo. Mas a ação não parou. Logo depois, as vítimas foram presas no banheiro para que a casa fosse saqueada. Os ladrões levaram duas televisões, um violão, um rádio, dois celulares e jóias de Neide Fátima. Fugiram por uma estrada vicinal, com o Ford Explorer do casal, que pediu socorro a um dos filhos.

Eles foram levados numa viatura da PM para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Até o fim da tarde de sábado, Neide Fátima permanecia internada em estado gravíssimo no centro de terapia intensiva. De acordo com a equipe médica, ela teve queimaduras de terceiro grau e passou por cirurgia para limpar os ferimentos. O marido dela levou coronhadas, mas não precisou ser atendido. Eles são pais do cabo João Carlos de Sales, de 22, que é clarinetista da Banda do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte.

Confissão
No Vale do Jequitinhonha, a polícia identificou sexta-feira o assassino do garoto Isaac Sena Gil, de 10 anos. Depois de um dia desaparecido, ele foi encontrado morto, à beira do Córrego Labirinto, nas proximidades da área urbana do município de Jequitinhonha. Um adolescente de 17 anos – vizinho da vítima e que, inclusive, havia ajudado nas buscas – foi apontado como o autor e confessou o crime.

O menor está detido na delegacia de Jequitinhonha, onde, revoltados, moradores ameaçaram linchá-lo. Isaac foi estrangulado após ter sido violentado sexualmente. De acordo com as investigações, o autor do crime atraiu a criança para um matagal e teria cometido o assassinato porque o menino disse que denunciaria o abuso.

Emerson Leão comandará o Galo em 2009

leaonogalo1

Bruno Furtado para o Portal Uai

Emerson Leão é o novo técnico do Atlético e, a princípio, ficará no clube até 31 de dezembro de 2009. O acerto foi fechado na manhã deste domingo, na casa do treinador, em São Paulo, numa reunião com o presidente Alexandre Kalil.

Leão vai substituir Marcelo Oliveira no cargo e trará consigo o preparador físico Fernando Leão, seu sobrinho, e o fisiologista Rodrigo Chaves. A apresentação do treinador será na terça-feira, às 15h, na sede de Lourdes.

Esta será a terceira passagem de Leão pelo Galo. A primeira foi entre 1997 e 1998, período em que conquistou a Copa Conmebol e a Copa Centenário de Belo Horizonte. Já em 2007, o treinador dirigiu o clube no Brasileirão e o deixou na oitava posição, na zona de classificação para a Sul-Americana.

Em entrevista à Rádio Itatiaia, Emerson Leão contou que só foi procurado por Alexandre Kalil neste domingo e que o acerto foi rápido. “Ele estava em São Paulo, me ligou uma pessoa, dizendo se eu poderia recebê-lo às 11h. Eu disse que sim e a campainha tocou às 11h da manhã. Em meia hora estava tudo resolvido”.

Segundo o treinador, mais do que dinheiro, pesaram na decisão de voltar a Minas o carinho pelo Atlético e as boas relações profissionais e de amizade que mantém em Belo Horizonte.

“Vou receber um valor, não é aquilo que eu ganhava, mas isso não está importando muito não. Me sinto feliz, o mais importante é se sentir feliz onde trabalho. Belo Horizonte é uma cidade muito legal, tenho muitos amigos, boas recordações, muito trabalho e isso ajudou bastante. Todas as vezes que a gente trabalha no Galo tudo corre muito bem, apesar das dificuldades”, comentou Leão.

O treinador aproveitou para dizer que seu contrato não prevê multa rescisória. “Isso não precisa. A hora que um dos dois não estiver satisfeito, está resolvido. A gente entra para ficar o tempo que agrade a todos”.

Por fim, Leão evitou fazer análises do grupo que terá nas mãos. Uma avaliação detalhada só será feita a partir de terça-feira. “Não é a mesma coisa alguém falar e você ver. Esse tipo de resposta eu prefiro chegar, observar. Terça-feira tem uma entrevista e atento com mais calma a todo mundo”.

Leão era o preferido da torcida para dirigir o Galo. Em enquete realizada pelo Superesportes, ele recebeu 2.165 votos, contra 472 para Celso Roth. A opção ‘outro técnico’ teve 542 votos.  

Fotos: Jorge Gontijo/EM/D. A Press

BHTrans e Google: Rotas de ônibus disponíveis na Internet

Clarissa Carvalhaes para o Hoje em Dia

Os usuários do transporte rodoviário coletivo de Belo Horizonte terão a vida facilitada a partir de hoje. Uma parceria entre a BHTrans e a Google Mapas oferece aos internautas a possibilidade de se locomoverem de ônibus na capital utilizando uma nova ferramenta, o “Como Chegar”. O link do site www.google.com.br/mapas pode ser acessado pelo computador ou pelo celular.

O grande diferencial do programa é a busca de rotas por referências turísticas ou comerciais. Não é necessário saber o número ou nome da rua ou avenida. Basta usar como referência o nome de um parque ou de um estabelecimento comercial próximo de onde se quer chegar.

Além disso, o internauta pode escolher se quer ir ao destino a pé, de carro, ônibus ou metrô. Se a opção desejada é o transporte público, o site apresenta quais as linhas são ideais naquele momento, identificando o tempo estimado de locomoção, freqüência da linha e até o preço da passagem.

Segundo o presidente da BHTrans, Ricardo Mendanha, a solução para desafogar o trânsito da capital passa por melhorias no transporte público. “A ferramenta da informação é fundamental. Pesquisas que a BHTrans tem feito mostram que parte das pessoas não usam o transporte coletivo por falta de informação”, disse.

Meta é captar usuários
Mendanha frisou que uma parte significativa dos usuários não conhece o sistema de transporte e tem dificuldades para utilizá-lo. “A apresentação desta ferramenta é mais um passo para aumentar o número de usuários. Com isso, estaremos melhorando a qualidade de vida das pessoas e da própria cidade”.

Mendanha disse ainda que a ferramenta é um presente para a população e para Belo Horizonte. “A capital mineira, que está completando 111 anos, está entre as primeiras cidades da América Latina a oferecer esse tipo de serviço ao usuários, melhorando a vida dos belo-horizontinos”, comentou.

O presidente da BHTrans garantiu que a frota de veículos das 287 linhas que integram o sistema será aumentado para atender os futuros usuários. Segundo o gerente de produtos da Google Brasil, Marcelo Quintella, da construção do programa ao seu funcionamento se passaram aproximadamente cinco meses e foi conduzida pela BHTrans, a São Paulo Transporte S.A. (SPTrans), a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e a própria Google. “Todos os envolvidos cederam os recursos tecnológicos. Não houve nenhuma negociação ou acordo financeiro”, disse.

Para o presidente da Google Brasil, Alex Dias, há interesse em trabalhar com outras cidades. Mas, por enquanto, o site oferece o serviço apenas em São Paulo e Belo Horizonte, escolhidas estrategicamente. “As cidades foram definidas porque são metrópoles importantes e parceiros maduros. Elas têm um transporte coletivo eficiente, que corresponde com as expectativas do projeto e que tem por objetivo incentivar a não utilização do transporte particular”, afirmou.

Segundo Dias, a ferramenta foi criada para reunir informações e imagens que facilitarão a vida dos usuários. “A inclusão de rotas de transporte público torna o Google Mapas mais relevante para os usuários brasileiros”, disse.

Para ele, o “Como Chegar” é uma ferramenta que facilitará a vida dos usuários, com a possibilidade de acesso por computadores e celulares. “Torna-se ainda mais útil para quem está nessas metrópoles”, concluiu.

As rotas de transporte estão disponíveis em outras 75 cidades do mundo, nos Estados Unidos e Europa.

Estudo revela onde há investimento na qualidade de vida

sedese

Ingrid Furtado para o Estado de Minas

Os prefeitos dos 853 municípios de Minas têm uma ferramenta importante para aumentar a qualidade de vida da população. Relatório inédito sobre a situação da garantia dos direitos humanos foi divulgado na  terça-feira pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). O estudo consolidou dados quantitativos levando em conta cinco dimensões: socioeconômica, mulher, negro, violência, criança e adolescente.

O diagnóstico mostrou que, do total das cidades mineiras, 430 (50,41% ) foram classificadas com nível médio de garantia. Outras 199 (23,33%) estão niveladas com boa garantia, 201 municípios (23,56%) com baixa, 14 na alta garantia e nove cidades foram consideradas em situação precária. O secretário-adjunto da Sedese, Juliano Fisicaro Borges, explicou que o Norte de Minas, que inclui os vales do Jequitinhonha e Mucuri, é a área mais carente em garantia de direitos humanos.

Ele observou que o estudo avaliou não somente o quadro municipal, mas também mostra um retrato das micro e macrorregiões. “O diagnóstico vai nos ajudar a traçar uma política regional e não, necessariamente, focar apenas no município. Assim, identificamos a necessidade de melhorar programas estaduais que abrangem as áreas do atendimento à mulher, à criança, entre outros. O relatório é o ponto de partida para que gestores ampliem e intensifiquem políticas que promovam aumento na garantia dos direitos humanos da população”, afirma Fisicaro.

O diretor do Instituto de Direitos Humanos, João Batista Moreira Pinto, responsável pela coleta e análise dos dados, explicou que foram usados 29 indicadores sociais, como saneamento básico, mortalidade infantil, taxa de assassinatos, lesão corporal, índice de reprovação escolar, internação de crianças até 14 anos e mulheres por agressão, proporções de curetagens pós-aborto, entre outros. Foi comparado também o percentual de negros que recebe até um salário mínimo e o mesmo índice no percentual de não-negros. Os responsáveis pela pesquisa compararam também o índice de analfabetos nas populações que se declararam negras.

O estudo revela realidades distintas: no Norte do estado, 73% das cidades estão em situação vulnerável; no Sul, a situação é contrária, com 37% das cidades apresentando alta garantia. O mapa da violência mostra que a maior incidência de alta e boa garantia está nas macrorregiões Sul, Zona da Mata e Central. Quando a situação das crianças e dos adolescentes é avaliada, fica evidente a vulnerabilidade dos vales do Jequitinhonha e Mucuri: a maioria dos índices tem garantia precária (65%).

“Não havia em Minas um diagnóstico específico de direitos humanos. O documento está disponível para que prefeitos analisem seu município dentro de determinada microrregião”, afirma João Batista Pinto. O levantamento mostra que a Grande BH está numa situação mediana de garantia. No entanto, ao analisar cada município, a capital é classificada com baixo índice de direitos humanos. A superintendente de Integração de Política de Direitos Humanos da Sedese, Márcia Martini, observa que o estudo é um instrumento de gestão para o estado. “É importante estabelecermos um dimensionamento estratégico de políticas públicas”, diz.
 
Foto: Jair Amaral/EM/D.A Press