Archive for the ‘Carros’ Category

Ajuda a montadoras entra em ‘colapso’ no Senado dos EUA

aroeira2

As negociações sobre um pacote de US$ 14 bilhões de auxílio às três maiores montadoras de automóveis dos EUA entraram em colapso no Senado americano nas primeiras horas desta sexta-feira, horário de Brasília. O plano não conseguiu apoio suficiente para ir a votação na casa.

O senador Harry Reid, líder da maioria democrata, afirmou que as negociações estancaram depois de os representantes da central sindical United Auto Workers terem se recusado a aceitar a proposta dos republicanos de cortar salários em troca do auxílio.

Os republicanos defendiam que a ajuda só deveria ser concedida às montadoras caso os trabalhadores concordassem com cortes de salários no próximo ano, para que eles se equiparassem com os das montadoras japonesas.

Segundo o senador republicano Bob Corker, os dois partidos estiveram perto de um acordo, mas a resistência por parte da central sindical de fazer concessões em termos salariais antes de 2011 fez o pacote ruir.

Harry Reid se disse “terrivelmente desapontado” quando viu que a possibilidade de votação havia falhado. Ele chamou o fato de “perda para o país”.

“Eu temo ver (o que acontecerá) com Wall Street amanhã. Não será um bom sinal” disse.

O porta-voz da Casa Branca Tony Fratto também afirmou que o governo está “decepcionado com o Congresso” e que irá avaliar outras opções, mas não deu detalhes.

O plano de auxílio a General Motors, Chrysler e Ford foi aprovado pela Câmara dos Representantes dos EUA na última quarta-feira.

Para que o plano fosse aprovado no Senado, os democratas necessitavam do apoio dos republicanos, já que eles têm a maioria de apenas um voto na casa. Entretanto, mesmo alguns democratas se colocaram contra a medida.

A General Motors e a Chrysler afirmam que correm o risco de ruir sem ajuda imediata. Já a Ford afirma que pode precisar da ajuda no futuro.

Fonte: BBC Brasil

Anúncios

Montadoras têm 300 mil veículos e R$ 12 bi parados nos pátios

samuca

As fabricantes de automóveis no país vivem, neste final de ano, uma das maiores quedas nas vendas, prejudicadas pela falta de crédito e aumento dos juros. Apesar da produção reduzida, para acompanhar a demanda desaquecida, as montadoras têm 305 mil veículos parados em seus pátios, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Considerando cálculo do mercado de que os veículos representam R$ 40 mil de capital de giro, em média, os pátios cheios representam ao menos R$ 12 bilhões parados. Isso sem contar com os custos de manutenção e as perdas com ausência de financiamentos.

Também em uma conta aproximada, um estoque como esse representa algo em torno de R$ 4 bilhões em impostos.

De acordo com o presidente da Anfavea, Jackson Schneider, o estoque ao final de novembro representava 56 dias, sendo 25 na indústria e outros 31 nas concessionárias.

A última vez que o setor registrou estoque tão alto foi em setembro de 2001, quando bateu 57 dias. Em outubro deste ano, o estoque estava em 38 dias, sendo 13 na indústria e 25 nas concessionárias.

Além da queda de venda e produção, o mês de novembro também registrou outros dados negativos: houve queda nas exportações e as indústrias registraram a primeira redução de postos de trabalho desde dezembro de 2006.

“Ninguém levantou investimento de forma irresposável. A freada foi muito forte e surpreendente”, afirmou Schneider.

Com as quedas consecutivas de outubro e novembro, a Anfavea revisou suas projeções de venda, produção e exportação para o ano.

Fonte: Folha News

Consumidor aproveita prechinchas no comércio

Paula Takahashi e Marinella Castro para O Estado de Minas

carro-novo
O momento pode ser incerto e o futuro da economia, ainda mais nebuloso, mas de uma coisa o consumidor pode estar certo, o mercado está fazendo o que pode, e, em alguns casos, o que não pode, para manter o aquecimento das compras, seja no comércio, no financiamento habitacional, seja no de carros. Redução em até 50% do valor das mercadorias para quem antecipar as compras, cupons premiados e até a manutenção de parcelamentos estendidos, sem juros, estão valendo para garantir crescimento nas vendas.

“A hora certa de comprar é agora. O dólar subiu 35%, mas a alta não será repassada ao consumidor. As promoções estão mantidas e os prazos também”, anuncia Ricardo Nunes, dono da rede mineira de eletrodomésticos Ricardo Eletro. Ele completa o recado inflamado dizendo que o mesmo não poderá ser mantido para o ano que vem. “Quem pensa que os preços vão cair está enganado. No ano que vem, os reajustes serão inevitáveis”, admite.

As promoções como apelo de vendas vale para todos, independentemente do tamanho do negócio. Marcelo Mazuhy é dono da Villa Kids, loja infantil, localizada nos bairros Buritis e Funcionários. Para não deixar o cliente escapar, a loja lança promoções semanais com produtos diversificados. Esta semana o tênis infantil variando de R$ 37 a R$ 40 pode ser levado por R$ 27,90. “As promoções vão durar até o dia 24”. Na rede de lojas Toulon, especializada no público masculino, quem antecipar as compras pode parcelar a conta por mais vezes e ainda levar alguns itens com até 50% de desconto. Uma estratégia que já começou a funcionar, segundo o gerente Giovani Joaquim da Silva.

tv-nova 

Feliz por realizar o sonho perseguido há um ano e sem preocupações com a crise mundial, a família do auxiliar de produção Elio Rubens da Silva foi ontem comprar a TV Phillips LCD de 32 polegadas. “A TV é o presente de Natal para minha esposa. A criança já ganhou roupas e brinquedos. O dinheiro que sobrou será para a ceia do Natal. Não me preocupo com esta crise porque estou trabalhando”, diz Elio, que dividiu a compra em 12 parcelas fixas de R$ 115. Segundo Ricardo Nunes, as compras acima de 10 parcelas têm taxa de juros média de 3,99% ao mês.

No Magazine Luiza, até o Natal haverá distribuição de cupons que atraem o consumidor com a oferta de prêmios. A loja informa que as linhas de empréstimo pessoal, parcelamento no cartão de crédito e consórcio continuam valendo para quem não pode pagar à vista.

A doméstica Elisete de Fátima comprou ontem o seu presente de Natal, uma TV de 29 polegadas, no valor de R$ 660, que vai pagar em três parcelas. “Ainda vai sobrar R$ 200 para viajar no Natal.” Elisete também não está preocupada com a crise, mas comenta que o risco é a vida ficar mais cara.

Um dos mais afetados pela queda do consumo, o setor automobilístico, além de flexível às negociações e descontos, ainda aumenta o pacote de ofertas de opcionais e cortesias oferecidas ao cliente, tudo para garantir o fechamento do negócio. Mauro Pinto de Moraes, presidente do Sindicato de Concessionários e Distribuidores de Veículos Automotores de Minas Gerais (Sincodiv-MG), explica que as montadoras estão abrindo mão de duas estratégias para chamar a atenção. Uma delas são as taxas de juros subsidiadas. “As taxas estão menores hoje do que estavam em setembro, antes do fortalecimento da crise”, afirma Mauro. Outra medida é a oferta de mais atrativos na mesa de negociações para agradar o cliente. “Tem também as menores entradas no pagamento que chamam a atenção”, ressalta.

Tudo isso sem contar os preços dos veículos, que estão menores do que antes. “Estamos abertos a qualquer negociação. É a chance para fazer um grande negócio”, garante Carlos Alberto Vanselow, diretor de vendas das concessionárias Roma. Oportunidade que a operadora de financiamentos Rita de Cássia não perdeu. “É a primeira vez que compro um carro e ganho tantos benefícios. Para quem está interessado em comprar, este é o momento”, garante Rit,a que comemora os R$ 4 mil de desconto, mais o insulfilm, IPVA e emplacamento que ganhou no momento da compra. “Quando a taxa estava boa, eu nunca teria ganhado tanto desconto e benefícios. No fim das contas, acabei saindo no lucro e ainda fiz um ótimo negócio”, avalia.

Carros de segunda mão, porém, não vivem o seu melhor momento no mercado. “No caso dos usados, a coisa está ainda pior porque eles estão, no mínimo, 20% mais baratos. Para quem compra, é um momento muito propício, mas muitas concessionárias já não aceitam esses veículos na troca porque estão com o pátio cheio”, afirma Mauro.

Fotos: Jorge Gontijo/EM/D.A Press – Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

Lá vem a crise…

crise

Para os otimistas de plantão as notícias ontem foram as piores. Nunca vi tanto prenúncio de desastre e mau agouro para a economia juntos. Pelo jeito lá a crise se instalou forte em SP e BA que decidiram prorrogar o pagamento do ICMS. Em SP, José Serra (PSDB) prorrogou o pagamento de 50% do ICMS referente a dezembro. Na Bahia de Jaques Wagner (PT) o governo anunciou que vai parcelar o ICMS em 04 vezes.

No RJ as montadoras e a CSN anunciam férias coletivas de 18 mil funcionários. As montadoras tais como, Volks, Peugeot, Citroën e as empresas CSN e Michelin, elevaram em 30% o número de funcionários em férias coletivas.

Os números do mercado automobilístico referentes a novembro, que devem ser divulgados no começo de dezembro, podem assustar até os mais pessimistas. As vendas no país apresentaram queda de aproximadamente 30% e devem fechar o mês com um total de 170 000 unidades emplacadas. Em outubro, que já apresentou desaceleração. A GM, que enfrenta a pior crise de sua história nos Estados Unidos, foi a montadora que mais perdeu mercado.

Para piorar o mercado divulgou-se também que há pouco mais de três meses as transportadoras rodoviárias faziam fila na porta das montadoras para aumentar sua frota e atender o mercado. A demanda era tão forte que algumas empresas de transporte chegavam a recusar clientes e escolher as cargas mais rentáveis. A crise mudou completamente esse quadro. Hoje, parte da capacidade instalada está ociosa, os planos de investimentos estão sendo revistos e já há pressão para reduzir o preço do frete.

Minas Gerais, estado que concentra cerca de 70% da produção nacional de gusa, foi o mais atingido pela retração do mercado ferro-gusa provocada principalmente pela queda na demanda internacional. Só em Sete Lagoas – município que concentra a maior produção de ferro-gusa da América Latina, com 22 empresas instaladas -, 2,3 mil trabalhadores foram demitidos, ou mais de 40% dos 5,5 mil empregados, diretos e indiretos, das fábricas. Na semana passada, o diretor da mineradora MMX afirmou que nada menos que 103 dos 161 fornos de ferro-gusa existentes no Brasil estavam parados.

Se foram notícias ruins para o país da “marolinha” do presidente Lula, imagina para o mundo. O relatório elaborado e distribuído entre os 375 maiores bancos de 70 países que integram o Instituto de Finanças Internacionais prevê queda de 3,5% no PIB dos EUA e de pelo menos 1,5% no crescimento de Europa e Japão no último trimestre deste ano. o relatório prevê que o Mundo terá o pior trimestre desde 80.

Piquet perde carteira de motorista

piquet.jpg 

Com a pontuação na carteira nacional de habilitação (CNH) estourada, o tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet foi afastado das ruas para não pôr em risco os demais motoristas. Para poder voltar a dirigir, Piquet está freqüentando um curso de reciclagem numa auto-escola de Brasília. As aulas dele acontecem de segunda à sexta, na parte da tarde. O ex-piloto foi à aula ontem ao lado da mulher Viviane, dividindo a sala com outros 20 alunos.

A diretoria do Detran de Brasília não deu detalhes da punição aplicada a Piquet, mas o Código Brasileiro de Trânsito (CBT) prevê a cassação da carteira, por um período de um a 12 meses, quando o motorista acumula mais de 20 pontos em multas num período de 12 meses.

Também pode ter a CNH suspensa o motorista punido por infrações definidas como gravíssimas (sete pontos), como excesso de velocidade acima de 50% da permitida. Segundo o código, a CNH será devolvida ao titular após aprovação no curso de reciclagem. Em caso de reincidência em um ano, a punição pode aumentar para seis até 24 meses sem dirigir, sendo necessário passar por novo curso de reciclagem.

Fonte: Agência O Globo

Acidente mata 11 pessoas no Norte de Minas

 acidente1.jpgacidente2.jpgacidente3.jpgacidente4.jpg
(clique para ampliar)

A batida entre um ônibus e uma carreta carregada de cerâmica, nesta madrugada, causou a morte de pelo menos 11 13 pessoas na MG 122, que liga Porteirinha a Janaúba, região norte do estado.

Segundo o corpo de bombeiros morreram os dois motoristas além de 9 passageiros. Outros 23 feridos foram levados para hospitais da região.

A carga da carreta está espalhada pela pista, que está interditada nos dois sentidos. Não há previsão para liberação da pista.

Updated: 14:06 pm

Fotos: Samarone Xavier/Especial para o EM

Nova York: US$225.000,00 por uma vaga de estacionamento

seinfeld-theparkingspace.jpg

Para vocês terem uma idéia de como é caro estacionar na cidade que nunca dorme, um condomínio no Lower West Side anunciou a venda de cinco vagas de estacionamento por nada menos que 225.000 dólares cada! O valor é quase igual ao dos apartamentos acima. Aí a reação natural de todos é pensar: “Mas quem seria louco o suficiente para desembolsar essa quantia por uma simples vaga na garagem? Bom, cinco pessoas já estão na fila…

Vi no Motorblog

Veja 3: Elio Gaspari é a fada Sininho de Lula

Diogo Mainardi leu uma coluna do jornalista Elio Gaspari e chegou à conclusão de que ele “é a fada Sininho de Lula”. E emenda: “Quando a bomba dos piratas está para estourar no colo de Lula, providencialmente aparece Elio Gaspari, batendo as asinhas. Ele carrega a bomba para longe e – bum! – estoura junto com ela, sempre pronto a se sacrificar pela Terra do Nunca.”

Quem será o Golbery do PT?

golbery.jpgO governo Lula armou uma arapuca para o Brasil. Obedece aos banqueiros e credores pagando-lhe altíssimas taxa de juros, loteia a administração pública em um toma-lá-dá-cá vergonhoso e ri de todos ao vir conseguindo provar, com a reeleição de Lula e a sucessão de escândalos que enoja a quem ainda tem vergonha, que a opinião pública não serve para nada. Não precisa chavinizar o Brasil, não. O processo, aqui, é mais perverso – sutil. O País não avança economicamente, pois não há gestão, apenas “funciona”, mantendo taxas de crescimento pífias frente a um mundo que voa – o que nos mantém vivos são os aparelhos interconectados à globalização, à economia mundial, que cresce sem parar. Mas, o Brasil, não, segue segurando a lanterna. Enquanto isso, o governo Lula domina as instituições, achincalha-as – a cada dia mais um pouquinho, até, quem sabe, definitivamente provar que elas não servem para nada. E de outras instituições se serve, como da PF, que, num bailado ambíguo, ora se submete ora se volta contra seu tutor. De outro, por meio da microeconomia, distribui empréstimos a aposentados, bolsas-famílias e afins aos despolitizados a quem jurava mais cidadania, educação e saúde de qualidade. Ou seja, todos estão sendo atendidos nos seus interesses, menos a opinião pública. Que, para o governo, não tem do que reclamar. O Brasil é refém de um cérebro perverso. Em qual corpo se esconde? Lula? Não acredito; pelo conteúdo das gravações dos diálogos do seu irmão Vavá (“dá dois paus pra eu?”), recuso-me a acreditar. Quem será o Golbery do PT? Ainda temos três anos e meio de mandato para Lula. Até lá, a lógica poderá estar concluída. Qual será ela? Enquanto não a deciframos (Lula em 2010, 2014, 2020, 2024…?), uma obsessão não me deixa dormir: quem será o Golbery do PT?

Retirado do blog do Roberto Jefferson

Editorial: Agora, é guerra declarada

relaxaegoza.gif

Por Fernando Exman:
Os controladores de vôo resolveram declarar guerra ao governo e ao Comando da Aeronáutica. Revoltados com a demora do governo para reajustar os salários da categoria, a falta de interlocutores para a negociação e as falhas nos equipamentos de trabalho, cogitam realizar novas operações-padrões como as que fustigaram ontem passageiros em todo o país. Até as 18h30, a ação havia causado atrasos em 38,1% de 1.475 vôos previstos, segundo a Infraero.Depois de cobrar hora e dia para o fim do apagão no setor, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou ontem ao comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, que adote as medidas necessárias para solucionar os problemas. Além disso, rechaçou o boato segundo o qual demitiria o presidente da Infraero, tenente-brigadeiro José Carlos Pereira. Nos bastidores, integrantes do governo reclamam da má-vontade dos controladores.

A insatisfação rendeu atitudes. A cúpula da Aeronáutica ampliou as investigações para descobrir se houve má-fé dos controladores. E alardeou que está disposta a punir líderes e responsáveis pela ação. A destoar no coro só o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que preferiu trilhar o caminho aberto pela colega Marta Suplicy. Ele disse que o crescimento da economia causa o gargalo logístico. Leia mais aqui (link aberto)

Receita do PT com “dízimo” de filiados sobe 545%

pt.jpgDa Folha de S.Paulo, hoje:
“O crescimento da máquina administrativa do governo, sua ocupação por petistas e a criação de novos cargos têm rendido bons frutos ao caixa do partido. Nos quatro primeiros anos do governo Lula, houve um salto de 545%, já descontada a inflação, na arrecadação do “dízimo” com filiados que ocupam cargos de confiança no Executivo e Legislativo. O “dízimo” é um percentual do salário que cada um precisa recolher ao partido. Só nesta semana, Lula anunciou duas medidas que aumentam novamente o gasto com servidores sem concurso: um reajuste salarial que chega a 140% em alguns casos e a criação de mais 600 cargos de confiança em vários ministérios. Já são mais de 2.000 cargos sem concurso criados pelo petista.

No ano passado, só com o “dízimo”, o PT arrecadou R$ 2,88 milhões. Em 2002, último ano na oposição, foram R$ 446 mil, em valores atuais.”