Archive for the ‘Santa Catarina’ Tag

Avô devolve os R$ 20 mil encontrados em casaco doado, em Santa Catarina

Daniele Maria Annater, de 5 anos, encontrou R$ 20 mil na manga de um casaco doado às vítimas das chuvas e enchentes que assolaram Santa Catarina há mais de dois meses. O avô da menina devolveu o valor. O caso aconteceu em novembro, mas só foi revelado ontem, por meio de reportagem do “Jornal de Santa Catarina”.

Segundo a reportagem, a garota estava abrigada com a família em Ilhota (SC). Ela encontrou o valor na manga do casaco de couro e pele em meio aos donativos que foram distribuídos às vítimas. Ela e a família moravam no Alto do Baú, uma das localidades devastadas pela chuva.

O responsável pela doação é um morador da cidade de Concórdia, também em Santa Catarina. O avô da garota, um agricultor, procurou o doador e descobriu que se tratava de um namorado de uma sobrinha dele. Ao encontrá-lo, o jovem disse que é costume da família guardar economias desta maneira. O valor só seria utilizado em caso de emergência, e, devido a isso, ninguém se deu conta de que ele havia sido entregue no meio dos donativos.

No dia 24 de novembro o agricultor perdeu quatro netos e um irmão devido a um deslizamento de um morro que atingiu a casa onde eles estavam. O avô da garota, Daniel Manoel da Silva, fez questão de ficar com o casaco. Como recompensa pela devolução, recebeu R$ 1 mil.

Chuvas em SC
A Defesa Civil de Santa Catarina afirmou na tarde de ontem que mais três municípios tiveram registros de prejuízos causados pelas chuvas que atingem o Estado desde domingo. O número de desabrigados também aumentou em decorrências das chuvas. Conforme o último balanço divulgado, os mortos somam 128 e 22 pessoas permanecem desaparecidas. Além disso, 32.973 pessoas continuam fora de suas casas, sendo que 5.737 estão desabrigadas e 27.236 desalojadas, ou seja, estão hospedadas em casas de amigos e parentes.

Em todo o Estado, agora são pelo menos nove municípios com registros de problemas causados pelas chuvas dos últimos dias. Segundo a Defesa Civil, a cidade de Fraiburgo registra 70 casas danificadas pela chuva de granizo que atingiu a região na segunda-feira.

O granizo também prejudicou plantações do município de Tangará. Segundo a Defesa, estão comprometidas as plantações de pêssego, maçã, milho, feijão e cebola. Já em Itapoá, as chuvas provocaram enxurradas e inundações, deixando pelo menos 100 pessoas desalojadas e 25 desabrigadas.

Outras seis cidades também já tinham registros de deslizamentos e enchentes devido às chuvas dos últimos dias. Segundo registro do Departamento Estadual de Defesa Civil, o município mais afetado continua sendo Palhoça, onde o número de bairros alagados ou com deslizamentos de terra subiu ontem para dez.

Outros alagamentos e deslizamentos também foram registrados nas cidades de Itajaí, São José, Santo Amaro de Imperatriz e Passa Vinte. Neste último, 32 famílias tiveram que deixar suas casas por medida de segurança, seis delas foram encaminhadas a abrigos públicos.

No morro do Baú, em Ilhota, a Defesa Civil mantém suspensos os trabalhos de busca de vítimas, além de interromper os trabalhos de reconstrução e obstrução de ruas. Em Joinville, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar afirmaram ter 7 mil residências danificadas e três totalmente destruídas. Os órgãos afirmam que o número de desalojados já somam 20 mil pessoas.

A Defesa Civil manteve ontem o alerta contra novos deslizamentos e alagamento em Santa Catarina devido às chuvas atingem o Estado desde domingo. A previsão é de tempo instável e chuvas fracas em todo o Estado.

As doações feitas em dinheiro às vítimas das chuvas que atingem o Estado de Santa Catarina chegaram a R$ 26.001.245,71 ontem, informou a Defesa Civil. Além das doações em dinheiros, a Defesa Civil também contabiliza o recebimento de donativos que já chegam a 4.300 toneladas de alimentos, 2,5 milhões de litros de água, 1.000 toneladas de roupas, além de brinquedos, materiais de higiene pessoal e outros.

Fonte: Jornal Hoje em Dia

Anúncios

Destaque do Dia: RBS TV flagra furto de donativos em Blumenau

 

Imagens feitas com microcâmera mostram soldados do Exército levando produtos em mochilas

Imagens feitas com microcâmera mostram soldados do Exército levando produtos em mochilas

 Uma reportagem veiculada pela RBS TV na noite deste domingo mostrou voluntários e soldados do Exército que trabalham na Vila Germânica, em Blumenau, no Vale do Itajaí, furtando roupas e mantimentos doados para às vítimas da enchente que atingiu Santa Catarina. As imagens mostraram pessoas saindo com o carro cheio de donativos.Os furtos ocorreram no Pavilhão 1 do Parque Vila Germânica, que é administrado pelo governo catarinense. O local funciona como uma central de triagem de produtos doados do Brasil inteiro.

Havia duas maneira de levar o material destinado aos flagelados das cheias. A primeira ocorria logo que os caminhões chegavam com os donativos. Os soldados descarregavam os produtos e empurravam para um monte. Outro grupo experimentava o material e, se servisse, colocava dentro de mochilas. Em seguida, saíam normalmente com mochilas cheias.

A reportagem gravou o seguinte diálogo entre os soldados:

— O que tu vai fazer com esse sutiã aí, véio? — pergunta um deles.

— Vou levar pra minha mãe. Esse eu peguei pra minha namorada — responde o colega.

O grupo aparece pegando roupas, tênis e outros objetos. Cada um sai com pelo menos duas mochilas cheias. O outro grupo que furtava os donativos eram os voluntários e os conhecidos deles. Eles chegavam de carro e selecionavam o que agradava.

As imagens mostraram uma mulher empurrando um carrinho de supermercados até o automóvel. Enquanto ela descarregava os produtos no porta-malas, o marido chegava com mais mantimentos.

As imagens foram feitas com uma microcâmera na última sexta-feira pelo cinegrafista Edson Silva. Somente os produtos de melhor qualidade eram desviados.

“Estarrecedoras”
O tenente-coronel Edson Rosti, comandante do 23º Batalhão da Infantaria (BI), classificou as imagens como “estarrecedoras” e afirmou que não deixam dúvidas do que aconteceu. Ele declarou que o 23º Batalhão de Infantaria (BI) vai apurar e o relatório será apresentado em 20 dias. Um inquérito policial militar deve ser instaurado.

O secretário de Desenvolvimento Regional de Blumenau, Paulo França, disse que vai mudar a estrutura de trabalho do pavilhão 1 da Vila Germânica para evitar os furtos. Ele falou que, se for preciso, vai contratar pessoas para fazer o serviço.

Para ver a reportagem que foi ao ar clique aqui.

Vi no site do jornal Zero Hora

Tragédia em SC: Salvo pelo telefone

Carro em estrada SC

O motorista do automóvel da foto abaixo estacionou o carro à beira da estrada e caminhou para um telefone próximo. O morro desabou em seguida, empurrando o asfalto em direção ao rio, um afluente do Itajaí-Açu. Operários agora cavam ainda mais o morro na tentativa de arrumar um desvio e liberar a via. Na região do município de Gaspar, de cada dois morros que se vê da estrada, um teve desabamento.

Tragédia em Santa Catarina: Sobe para 116 o número de mortos no estado

hospital-exercito-sc

A Defesa Civil de santa Catarina confirmou na noite desta segunda-feira a morte de mais duas pessoas no município de Luiz Alves, elevando o número total de vítimas fatais das enchentes para 116. Ainda de acordo com boletim da Defesa, o número de desalojados e desabrigados chega a 78.707, sendo 27.410 desabrigados e 51.297 desalojados. Ainda há 31 desaparecidos.

As duas vítimas são Felipe Soplisk, de 7 anos, que havia sumido no domingo, após um deslizamento, e Licia Luciane, de 66 anos, também atingida por um deslizamento no sábado, no morro do Serafim. O marido dela, Valmor Luciane, de 70 anos, está desaparecido.

O hospital de campanha montado pela Força Aérea Brasileira (FAB) perto da cidade de Itajaí começou a receber nesta segunda as vítimas das enchentes. O hospital, no cruzamento da Rodovia Jorge Lacerda com a BR 101, tem capacidade para atender 400 pessoas em cinco especialidades: pediatria, ginecologia, ortopedia, clínica e odontologia. A unidade espera receber pacientes das cidades de Itajaí, Ilhota, Navegantes e Gaspar. Mas nesta segunda-feira atendeu apenas 85 pessoas.

Leptospirose
A Secretaria estadual de Saúde de Santa Catarina começou a contabilizar as suspeitas de doenças infecciosas. Até o momento, já foram registrados 20 casos suspeitos de leptospirose. “A nossa prioridade nos próximos 15 dias será identificar os casos suspeitos e iniciar imediatamente o tratamento”, diz o diretor de Vigilância Epidemiológica do Estado de Santa Catarina, Luís Antonio Silva.

De acordo com Silva, o conceito de ‘caso suspeito’ foi ampliado para que os médicos possam evitar a propagação da doença e possam também incluir um número maior de pessoas no programa de tratamento preventivo. “Basta que um paciente apresente febre, cefaléia ou mialgia e tenha tido contato com as águas da enchente para que seja imediatamente colocado em tratamento”, explica Silva.

Dengue 
O combate à dengue será outra etapa nesse pós-enchente. Conforme Silva, possíveis surtos da doença poderão surgir em lugares onde ficar água parada e entulhos – abrigo para o mosquito transmissor. As doenças mais comuns que podem se proliferar em situações após grandes enchente são: infecção por rotavírus, hepatite A, febre tifóide, salmonelose, shigelose, amebíase, leptospirose e poliomielite.

As autoridades sanitárias locais também alertam a população para os riscos de acidentes com cobras, escorpiões, lagartas e aranhas. Em caso de suspeita de picada a orientação é ligar imediatamente para o serviço de vigilância sanitária do estado (0800 – 6435252).

Telefones úteis

Polícia Militar: 190
Corpo de Bombeiros: 193
Defesa Civil Estadual: (48) 3244-0600
Defesa Civil Municipal: 199
Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc): 0800-480196
Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan): 0800-6430195
Polícia Rodoviária Federal: 191
Polícia Rodoviária Estadual: 198
Consultas sobre as contas bancárias para doações: 0800-482020
Casos de picadas por animais e insetos venenosos e envenenamentos em geral: 0800–6435252 Plantão 24 horas
Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde:
(48) 3251-7891, 3251-7965, 3251-7892, 3251-7962 – das 13 às 19h.
Ouvidoria da Saúde: 0800-482800 – das 7 às 19h.
Dúvidas sobre leptospirose ou dengue:(48) 3221-8454, das 13 às 19h.
Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): 192

União usou só 13% para prevenir tragédias como de SC

fotoenchentessc1

O governo federal só executou até agora 13% do orçamento previsto para prevenção e preparação para desastres. Os dados estão no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) acessados pela Agência Brasil e pelo site Contas Abertas. Os números mostram que do total de R$ 372,9 milhões destinados a prevenção e preparação para desastres foram empenhados R$ 184,6 milhões e executados quase R$ 49 milhões. Parte disso, R$ 2,4 milhões, foi para o Estado de Santa Catarina.

Em suma, o governo federal repassou, em 2008, R$ 2,4 milhões para serem usados em obras preventivas, como contenção de encostas e canalização de córregos, para o Estado, enquanto mais de R$ 7,4 milhões, por exemplo, foram encaminhados por meio do programa de “resposta aos desastres” – o triplo de recursos para remediar, e não prevenir. Isso sem considerar os mais de R$ 1 bilhão liberados na quarta-feira por medida provisória.

No ano passado, a distorção entre o orçamento nacional desses programas se repetiu. Somente R$ 53,5 milhões foram gastos de uma dotação autorizada de R$ 262,9 milhões com a prevenção (20% do total previsto). Já a resposta aos desastres levou ao desembolso de mais de R$ 347 milhões de uma verba autorizada de R$ 554,3 milhões (63%). Em resumo, o valor aplicado nas ações pós-chuvas foi seis vezes superior aos repasses para ações de Defesa Civil. Procurado ontem, o governo não se pronunciou.

Fonte: Agência Estado / Foto: James Tavares/SECOM/AFP

Quem estiver buscando informações das vítimas da tragédia em Santa Catarina pode acessar a lista dos desabrigados no site:

http://desabrigadositajai.wordpress.com/

No caso de ajuda em dinheiro use uma das contas abaixo.

enchentessc-contas

Número de mortes por causa da chuva em Santa Catarina atinge 84

O número de mortos por causa da chuva em Santa Catarina já chega a 84. Mais três corpos foram encontrados na tarde desta terça-feira em Ilhota, no Vale do Itajaí . Outros sete corpos foram encontrados na tarde desta terça em Blumenau. A Defesa Civil havia informado que os mortos em Gaspar eram 17, mas corrigiu o número para 15.

A Defesa Civil não soube informar se os mortos em Blumenau e Ilhota foram vítimas de deslizamentos de terra ou alagamentos.

Sob os escombros de uma casa destruída por deslizamento de terra na localidade de Sertão Verde, no município de Gaspar,  já haviam sido encontrados três corpos de pessoas de uma mesma família por volta das 14h30min desta terça-feira.

Débora Mendonça, 26 anos, a filha Ester, três anos, e a sobrinha Jéssica, 15 anos, estavam em uma residência que foi invadida pelo barro na tarde de domingo. Há a suspeita de que outras quatro pessoas da mesma família também estejam soterradas.

O corpo de um homem foi encontrado no início da tarde desta terça-feira pelas equipes de resgate sob a terra que deslizou no domingo na SC-401, rodovia que liga o Centro ao Norte da Ilha de Santa Catarina.

A família de Ricardo Dias de Oliveira, de 34 anos, confirmou que o corpo é dele. Oliveira era o motorista de um caminhão, com placas de Carazinho (RS), que foi soterrado.

O corpo de uma mulher de 76 anos foi encontrado pouco depois do meio-dia desta terça-feira em São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis. Maria das Neves Coelho Laurentino estava numa loja de aluguel de roupas, na Estrada Geral de São Pedro de Alcântara, soterrada por um deslizamento de terra por volta das 10h. As equipes de resgate levaram mais de duas horas para chegar ao local onde estava o corpo.

A Defesa Civil de Santa Catarina informou na manhã desta terça-feira que foram registradas mais duas mortes por afogamento em Itajaí, no Litoral Norte do Estado, uma das cidades mais atingidas pela cheia. Foram as duas primeiras mortes registradas em Itajaí.

Blumenau, a cidade mais destruída pelos deslizamentos e alagamentos, contabiliza 20 mortes. Ilhota, no Vale do Itajaí, aparece em segundo lugar, com 15 falecimentos.

Oito municípios estão isolados: São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoá e Benedito Novo.

De acordo com a Epagri, nos próximos dias deve continuar chovendo, mas com menos intensidade.

enchentessc enchentessc2 enchentessc3
enchentessc4 enchentessc5 enchentessc6

Fonte e Fotos: SOS SC

63 mortes por causa das chuvas em SC e 8 municípios estão isolados

O governo de Santa Catarina continua a contabilizar mortos devido à chuva que atinge o Estado. Segundo a Defesa Civil, já foram confirmadas 63 mortes no Estado, sendo 13 em Blumenau, quatro em Luiz Alves, dez em Jaraguá do Sul, 15 em Ilhota, duas em Rancho Queimados, dez em Gaspar, quatro em Rodeio, duas em Benedito Novo e as outras três foram registradas nas cidades de Pomerode, Brusque e Bom Jardim da Serra. Uma pessoa também morreu em Guaratuba, cidade do Paraná.

Agora, oito municípios estão isolados – São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo. A Defesa Civil estima que a ajuda às comunidades isoladas pode demorar um dia para chegar.

O órgão registra 43.104 desalojados e desabrigados, sendo 28.543 desalojados (os que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares) e 14.561 desabrigados (pessoas que precisam dos abrigos públicos). Cerca de 1,5 milhão de pessoas foram afetadas.

Aproximadamente 160 mil pessoas estão sem luz e outras seis cidades estão sem abastecimento de água. De acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, as chuvas devem continuar até esta quarta (26). Para o coordenador do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe), o fenômeno das chuvas em SC “é anômalo, mas natural”.

Calamidade pública
Os municípios de Gaspar e Rio dos Cedros decretaram estado de calamidade pública. Blumenau, Brusque, Ilhota e Tijuca também já comfirmaram que vão decretar calamidade. Boletim informa que o nível do Rio Itajaí-Açu atingiu a marca de 9,5 metros às 15h, no centro de Blumenau. Chuva dificulta tráfego

Segundo a Defesa Civil, em Balneário Camboriú, o hospital Santa Inês foi atingido por um desmoronamento de barranco. Os pacientes foram removidos para outros setores do próprio hospital, que não recebe mais pessoas. Em Ilhota são 2.000 estão desabrigados e 25 mil pessoas afetadas.

Joinville conta 500 mil pessoas afetadas e 1.000 residências danificadas. Em Brusque, 100 casas foram interditadas por deslizamentos. Em Itajaí, deslizamentos, alagamentos e malha viária danificada deixam 1.200 desabrigados e 2.000 desalojados. O secretário da Infra-Estrutura de Santa Catarina, Romualdo Theophanes França, informou que as chuvas irão atrasar obras do PAC no Estado. Cidades mais atingidas pelas chuvas em Santa Catarina
 
O gerente de Operações da Defesa Civil, major Emerson Neri, acredita que a situação deve piorar nos próximos dias porque as chuvas vão continuar. “Está chovendo ininterruptamente há quase dois meses e, infelizmente, a expectativa da meteorologia é de que o clima não mude nos próximos dias. Praticamente todos os municípios do litoral, de norte a sul, foram afetados. E ainda não temos informações consolidadas de todas as cidades”, afirmou.

Diversos trechos de rodovias estaduais e federais estão interditados por causa de deslizamentos e queda de barreiras. Ainda há risco de outros deslizamentos, por isso, a Defesa Civil orienta a população a usar seus veículos apenas em casos de emergência.

Abaixo veja o impressionante vídeo de uma casa que “desceu” o morro em função das constantes chuvas. Não tenho mais notícias sobre os moradores. Queira Deus que no momento a casa estivesse vazia.