Archive for the ‘Homicídio’ Category

Dois crimes com marcas de crueldade chocam MG

Luiz Ribeiro e Fábio Fabrini oara o Estado de Minas 

Dois crimes separados por cerca de 600 quilômetros, mas equiparados em nível de crueldade chocam duas cidades mineiras. Na Região Metropolitana de BH, em um assalto com requintes de covardia, a mãe de um cabo do Corpo de Bombeiros foi queimada, na manhã de sábado, em Brumadinho, depois de ter o corpo encharcado com gasolina. Em Jequitinhonha, a 677 quilômetros da capital, o assassinato de um garoto de 10 anos deixou revoltada a população local e provocou ameaças de linchamento contra o assassino confesso, um adolescente de 17 anos.

No crime registrado na Grande BH, três homens invadiram o sítio em que a vítima passava o fim de semana com o marido, jogaram gasolina em seu corpo e atearam fogo, supostamente para forçá-la a entregar dinheiro arrecadado numa festa religiosa. Até o fim da tarde de sábado, nenhum suspeito havia sido preso.

O crime ocorreu por volta das 6h, numa área de pouco movimento do distrito de Conceição do Itaguá. Os ladrões, armados, arrombaram a casa e renderam o casal Carlos José de Sales, de 58 anos, e Neide Fátima Rezende Fátima, de 54. Enquanto um dos criminosos, encapuzado, vigiava o sítio do lado de fora, os outros dois reviravam tudo. De acordo com a ocorrência da Polícia Militar, eles exigiam o que havia no cofre e a quantia arrecadada na Festa de Nossa Senhora da Conceição, feita pela comunidade católica na segunda-feira. Carlos José ajudou no evento, trabalhando no caixa, mas o dinheiro não tinha sido guardado por ele, tampouco havia cofre na casa.

Frustrado, o homem encapuzado teria achado uma garrafa com dois litros de gasolina e despejado tudo sobre Neide Fátima, com o objetivo de fazer tortura psicológica e descobrir o que procurava. Pouco depois, num momento de maior tensão, ateou fogo à mulher, que teve queimaduras no rosto, costas, braços e peito.

Carlos José e os dois homens que não usavam capuz apagaram o fogo. Mas a ação não parou. Logo depois, as vítimas foram presas no banheiro para que a casa fosse saqueada. Os ladrões levaram duas televisões, um violão, um rádio, dois celulares e jóias de Neide Fátima. Fugiram por uma estrada vicinal, com o Ford Explorer do casal, que pediu socorro a um dos filhos.

Eles foram levados numa viatura da PM para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Até o fim da tarde de sábado, Neide Fátima permanecia internada em estado gravíssimo no centro de terapia intensiva. De acordo com a equipe médica, ela teve queimaduras de terceiro grau e passou por cirurgia para limpar os ferimentos. O marido dela levou coronhadas, mas não precisou ser atendido. Eles são pais do cabo João Carlos de Sales, de 22, que é clarinetista da Banda do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte.

Confissão
No Vale do Jequitinhonha, a polícia identificou sexta-feira o assassino do garoto Isaac Sena Gil, de 10 anos. Depois de um dia desaparecido, ele foi encontrado morto, à beira do Córrego Labirinto, nas proximidades da área urbana do município de Jequitinhonha. Um adolescente de 17 anos – vizinho da vítima e que, inclusive, havia ajudado nas buscas – foi apontado como o autor e confessou o crime.

O menor está detido na delegacia de Jequitinhonha, onde, revoltados, moradores ameaçaram linchá-lo. Isaac foi estrangulado após ter sido violentado sexualmente. De acordo com as investigações, o autor do crime atraiu a criança para um matagal e teria cometido o assassinato porque o menino disse que denunciaria o abuso.

Anúncios

Júri recompensa a incompetência de PMs que mataram João

fotomenino
Sofri na mão de leitores tecnicistas quando critiquei a decisão do Ministério Público estadual, que pediu em 28 de junho a absolvição de um PM que matou o estudante Daniel Duque, numa briga na porta de uma boate em Ipanema, no Rio. Eu apenas defendia que essa atitude abriria a porta para outros atos de impunidade. Não deu outra, seis meses depois.

Agora há pouco o Júri acabou de absolver o PM William de Paula da acusação de homicídio do menino João Roberto, de apenas 3 anos, que foi morto depois que o policial e um colega confundiram o carro dirigido pela mãe dele com um veículo com bandidos em fuga. O Júri condenou o policial militar apenas por lesão corporal, por ter ferido a mãe e um irmão do menino. A pena: um ano de serviços comunitários.

Novamente tudo indica que a absolvição aconteceu em função da atuação do Ministério Público, que acusou o PM de homicídio doloso (quando há intenção). Ninguém tem dúvida de que os PMs não mataram intencionalmente o menino. Tanto assim que o PM admitiu ontem que cometeu o erro ao confundir o carro. Portanto, os jurados entenderam que o PM não teve a intenção de matar a criança.

Só que a incompetência dos PMs, que custou a vida de uma criança, foi recompensada com a absolvição do homicídio. Se o Ministério Público tivesse acusado o policial de homicídio culposo, talvez o Júri entendesse melhor como poderia contribuir para a redução da impunidade no Rio.

Agora será mais uma família a lidar com a sensação de que seu parente é morto mais uma vez. E quantas famílias ainda estarão expostas a erros graves como esses, cometidos por agentes do Estado?

Kibado do blog do Jorge Antônio Barros

Foto: Hipólito Pereira/ Agência O GLOBO

Nenê Constantino é indiciado por homicídio no Distrito Federal

nene_constantinoDo UOL Notícias

O empresário e sócio-fundador da companhia Gol Linhas Aéreas, Nenê Constantino, 77, foi indiciado por homicídio, segundo informou na tarde desta quarta-feira a Polícia Civil do Distrito Federal. Ele é acusado de matar Márcio Leonardo de Sousa Brito, 27, em dezembro de 2001, na cidade-satélite de Taguatinga, a 25 km de Brasília.

Em nota, a delegada do caso, Mabel Farias, afirma que a motivação do crime foi a disputa por um terreno de uma garagem do empresário. Cerca de 100 pessoas ocupavam o local e Brito era representante das famílias.

O rapaz foi morto com três tiros em um barraco de Taguatinga. Na época, a polícia suspeitou de um motorista que trabalhava em um terminal rodoviário de Ceilândia, cidade vizinha a Taguatinga, contra quem o rapaz havia registrado um boletim de ocorrência por ameaça.

Também foram indiciados João Alcides Miranda, 61, e Vanderlei Batista Silva, 67 – este último vereador da cidade de Amaralina (GO). Segundo a polícia, Miranda e Silva intermediaram a contratação dos executores do crime. Todos responderão por homicídio qualificado.

Outro lado
Por meio de nota, os advogados de Constantino afirmam que o cliente “repele, de forma veemente, a injusta e inverídica acusação”. Os advogados afirmam que o inquérito policial não continha, como não contém, qualquer indício que possa sustentar a “absurda conclusão”.

80ª pessoa assassinada em Montes Claros neste ano

Na tarde desta terça-feira 18, mais uma pessoa foi executada em Montes Claros. A vítima foi um homem de 29 anos, Renilson Antunes dos Santos, conhecido como Guinha, morador da Rua C, no Bairro Ciro dos Anjos.

Xu Medeiros

Ele foi executado com dois tiros, segundo informações, a vítima teria dado uma carona para uma mulher ainda não identificada, até o fórum da cidade, ao sair do local o carro de Guinha, um Corsa de cor vermelha, foi cercado por uma moto, o passageiro teria feito os disparos.

No local nove cápsulas deflagradas foram encontradas, de acordo com os peritos a arma usada no homicídio foi uma pistola modelo 380. No carro marca de tiros podem ser vistas por toda à parte. Há suspeitas que o crime tenha ligação com o tráfico de drogas. 

Mulher
A esposa da vítima esteve no local, Ana Paula Fernandes Silva, disse aos policias que não têm suspeitas de quem possa ter cometido o crime.

Entre os pertences da vítima foram encontrados R$ 1.159,00 além de um aparelho celular e documentos pessoais. O rapaz foi executado na esquina das Ruas General Carneiro com João Souto, centro, por volta das 15h.

Ligações
Durante os trabalhos da polícia o aparelho celular da vítima não parou de tocar. De acordo com os policias as ligações recebidas podem ajudar nas investigações. Eles afirmam ainda que em poucos dias os suspeitos possam ser presos.

Homicídios
Durante todo o ano de 2007 o número de homicídios chegou a 79, faltando um mês e 11 dias para o fim de 2008, esse índice foi superado. Em Montes Claros Renilson foi à vítima de número 80 este ano. Apesar de ações conjuntas entre polícia civil e militar o crime não para.

Xu Medeiros

Moradores vizinhos da cena do crime afirmam que o local é tranqüilo e lamentam que a insegurança esteja por toda à parte.

Fotos: Xu Medeiros

Kibado do blog Xu Medeiros