Archive for the ‘Fidel Castro’ Category

Pesquisa sobre vitimização em favelas do Rio de Janeiro da Professora Alba Zaluar

zaluar.jpg“Resolvemos comparar duas áreas da cidade que apresentam os maiores contrastes em relação à renda, escolaridade, condições de infra-estrutura urbana, etc. Olhem só os resultados dos crimes assistidos pelos moradores nas suas respectivas vizinhanças: na zona sul, assalto, extorsão de policiais e uso e consumo de drogas é varias vezes superior. As favelas da AP4,( Barra-Jacarepaguá), dominadas por milícias, conseguem o que a segurança privada da zona sul não consegue evitar. Na favela só ganha assassinato de vizinhos e amigos, além dos tiros disparados por PMs. Alguma coisa está profundamente errada na política de segurança da cidade.”

rio.jpg

Anúncios

Marine revela que recebeu ordem para executar mulheres e crianças

frank_wuterich.jpgUm cabo dos fuzileiros americanos disse nesta quinta-feira que recebeu ordem para atirar contra mulheres e crianças no povoado iraquiano de Hadiya, durante a audiência preliminar contra um sargento acusado de liderar o massacre, em 2005. Na abertura da audiência sobre o caso contra o sargento Frank Wuterich, em Camp Pendleton (200 km ao sul de Los Angeles), o cabo Humberto Mendoza contou que após a explosão de uma bomba em uma estrada próxima a Hadiya, que matou um marine, o sargento Wuterich ordenou que seu grupo atirasse contra casas que supostamente abrigavam rebeldes.

Segundo o cabo Mendoza, horas após a explosão da bomba o sargento Wuterich liderou uma operação contra os rebeldes e determinou que se atirasse em qualquer pessoa que abrisse a porta após o chamado dos marines.

“Ele disse: só esperem a porta abrir e atirem”, revelou Mendoza, admitindo que disparou contra um homem adulto.

Dentro de uma casa, Mendoza disse que recebeu ordem de outro marine, Stephen Tatum, para atirar contra sete mulheres e crianças que estavam escondidas em um quarto: “Quando abri a porta, havia apenas mulheres e crianças (…) e depois de poucos segundos, percebi que não eram uma ameaça (…) pareciam assustados”.

Logo após sair do quarto, Mendoza encontrou Tatum e relatou que lá só havia mulheres e crianças, mas mesmo assim recebeu ordem de atirar.

vitimas.jpg

O cabo revelou que ainda tentou argumentar com Tatum, dizendo que “eram apenas mulheres e crianças”, mas o outro marine ficou calado. Algum tempo depois, quando estava diante da casa, Mendoza ouviu um forte barulho e quando voltou ao quarto, encontrou todos mortos.

Um investigação paralela realizada pelo major Haytham Faraj encontrou uma menina que sobreviveu ao massacre e que afirma que Mendoza foi o homem que atirou contra o grupo no quarto, no dia 19 de novembro de 2005.

Rio volta à normalidade: 20 assassinatos

De Marcello Gazzaneo no Jornal do Brasil, hoje:
A suspeita de que traficantes do Morro da Cotia teriam ordenado o ataque a dois ônibus na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, na Zona Norte, e o fechamento da via, na noite de terça-feira e madrugada de ontem, trouxe à rotina da cidade o terror das ações do tráfico. E apesar de o setor de inteligência da Secretaria de Segurança Pública monitorar as ações das quadrilhas durante os Jogos Pan-Americanos, a hipótese de que traficantes estejam por trás da manifestação dos moradores da favela, que terminou com dois ônibus e quatro carros queimados e outros dois coletivos apedrejados, não está descartada pela polícia.

O ataque aos veículos e o fechamento da estrada aconteceram depois do assassinato do estudante universitário Willian Alves Barbosa, 26 anos, que teria sido morto por policiais encapuzados. Pela manhã, mesmo com reforço do policiamento no local, os moradores voltaram à via para tentar bloquear o trânsito novamente. Cinco pessoas, que estariam empurrando a carcaça de veículos queimados para a pista, acabaram detidas.

Para o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, a informação de que os assassinos de William seriam policiais pode ter partido do tráfico, com o objetivo de inflamar os moradores da favela.

– Pode ser o movimento do tráfico querendo proteger suas ações. Procuramos antecipar esses fatos, mas não houve informações sobre esse tipo de movimentação – explicou Beltrame. – Não podemos arcar com acusações que podem ser do próprio tráfico.

O secretário não acredita que o episódio na Grajaú-Jacarepaguá e as 20 mortes ligadas às ações do tráfico em diversos pontos da cidade, ontem, tenham relação com o término dos Jogos Pan-Americanos. Beltrame classificou os casos como fatos isolados. Mas anunciou que o policiamento será reforçado na Grajaú-Jacarepaguá”.

Evo Morales: Fala fantoche!

Trechos da entrevista de página inteira na Folha de SP.

chavesfidelmorales.jpg

       
FOLHA – Analistas acreditam que a Bolívia possa sofrer desabastecimento interno de gás.
MORALES
– Estamos cientes e adotando medidas preventivas. Necessitamos, para os três meses de inverno, de pelo menos 3.600 toneladas de gás natural e já prevíamos adquiri-lo da Venezuela por precaução.

FOLHA – A Bolívia tem capacidade de suprir a demanda argentina e a brasileira?
MORALES
– Sim. No momento, exportamos à Argentina cerca de 5,7 milhões de metros cúbicos ao dia, (o contrato  prevê no mínimo 4,6 milhões e no máximo 7,7 milhões). No caso do Brasil, nosso volume diário de exportação é de 25 milhões de metros cúbicos ao dia e nos pediram que o elevássemos a 27 milhões.  Atender à demanda máxima (30 milhões) é difícil. Mas um aumento na cota é possível.

FOLHA – A ONU denunciou um aumento “dramático” (de cerca de 8%) no cultivo de coca. Já aos EUA, sua política de “revalorização” da folha de coca causa “inquietação”.
MORALES
– Dois mil hectares a mais de coca são um aumento dramático? Querem que na Bolívia haja forças paramilitares, fumigações, violações dos direitos humanos?

FOLHA – O senhor visitou Fidel Castro há alguns dias. Como foi o encontro?
MORALES
– Eu estava ansioso, desesperado por entrar. Quando conversamos e o ouvi falar de seus princípios de solidariedade, de seus preocupações com o ambiente e a energia, de suas críticas ao álcool e aos biocombustíveis, tive vontade de chorar, eu me emocionei. Eu lhe disse: “Comandante, o senhor não precisa convencer a Chávez, a mim e a outros líderes. Basta nos dar instruções”.

FOLHA – O senhor está distribuindo aos prefeitos de cidades bolivianas cheques em valores de milhares de dólares, assinados pela Embaixada da Venezuela. Isso é ingerência de Hugo Chávez nos assuntos bolivianos?
MORALES
– Não.  Quanto aos cheques, todos os países o fazem por meio de ONGs.  Mas, no caso da ajuda de Chávez, coordenamos com os prefeitos os projetos que lhes interessam e assim não existe malversação de fundos.

FOLHA – Mas o senhor pretende garantir sua reeleição e adotar um sistema de Câmara única para o Legislativo, na nova Constituição?
MORALES
– A Câmara Alta e a Câmara Baixa nos levam ao atraso e ao conflito. O sistema unicameral está em debate. E a reeleição do presidente é uma proposta das forças sociais. Não só a ratificação mas também a revogação de mandato.

Cuba: dois mortos tentando fugir

Um oficial e um soldado das Forças Armadas cubanas morreram após intenso tiroteio, quando desertores do serviço militar tentaram seqüestrar um Boeing 737 da empresa de charter espanhola Hola Airlines, no aeroporto internacional José Marti em Havana, diz a agência espanhola Efe. Ao menos dois, de um grupo de recrutas armados, seqüestraram um ônibus com passageiros na madrugada de ontem e invadiram a pista hoje cedo. Ao abordarem o avião com fuzis AK 47, foram impedidos por agentes de segurança. No tiroteio, segundo fontes oficiais, morreram um recruta e um tenente-coronel, mas relatos independentes falam em pelo menos dois recrutas mortos, de 19 e 21 anos, que desertaram de um quartel em Managua, a 30km de Havana. As fontes independentes também informaram à Efe que os retratos-falados dos desertores circulavam desde 29 de abril por e-mail na ilha, como ?perigosos?. Eles iriam para os Estados Unidos. O avião estava vazio. O informe oficial fala no ?apoio da população, que ajudou a capturar outro envolvido, que revelou o plano de fuga?.  Há quatro anos houve episódio igual ao da manhã desta quinta-feira, dois dias depois das festividades do 1º. de Maio, quando Fidel Castro, mais uma vez, não apareceu em público.

Justiça libera programação na TV aberta

censuratvaberta.jpg

Laura Mattos para a Folha de S.Paulo:
As redes de TV obtiveram liminar em mandado de segurança que anula a obrigatoriedade de exibir programas nos horários determinados pelo governo. Com a decisão, mesmo a programação classificada como imprópria a crianças e adolescentes fica autorizada a ir ao ar em horário livre (antes das 20h).

O mandado, solicitado pela Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV), foi assinado pelo ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em 18/4. A Folha tentou localizá-lo ontem, sem sucesso.

A vitória da Abert se dá às vésperas do prazo máximo para que as TVs passem a cumprir as novas regras de classificação de programas, elaboradas pelo Ministério da Justiça. A pasta informou ontem que irá recorrer da decisão do STJ.

Publicada em fevereiro, a portaria 264 entra em vigor no dia 13 e determina horários para programas inadequados a crianças e adolescentes (após as 20h para maiores de 12 anos, 21h para 14, 22h para 16 e 23h para 18).

A portaria também exige que as TVs respeitem os diferentes fusos horários do país. Diferentemente do que ocorre hoje, a novela classificada para 21h, por exemplo, não pode ir ao ar às 19h no Acre (18h no horário de verão).

Com o mandado de segurança, essas exigências ficam suspensas, e o governo só poderá cobrar que as redes informem, com símbolos padronizados, para que idade o programa em exibição não é recomendado.

O mandado de segurança tem efeito provisório, até o julgamento do mérito. Enquanto o STJ não decidir se as TVs devem ou não cumprir os horários, os efeitos da portaria ficam suspensos. Não há prazo para o julgamento do mérito.

Além desse processo, há outro contra a portaria de classificação sendo analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O caminho via STJ foi uma manobra das TVs, que avaliaram que o STF não abordaria a questão até o dia 13, quando as regras entram em vigor.

José Elias Romão, diretor do departamento de classificação da MJ, afirma que, sem a obrigatoriedade dos horários, as redes de TV ficam sem controle, e a infância, desprotegida.

Flávio Cavalcanti Jr., diretor-geral da Abert, diz que “as TVs continuarão a fazer o que sempre fizeram”, com critérios próprios para determinar os horários de exibição, e que comunicarão a faixa etária dos programas “para que os pais decidam o que o filho deve ver”.

Fidel rompe silêncio e critica etanol em artigo de jornal

fidelchaves.jpgEm artigo que rompe um silêncio de oito meses, o líder cubano Fidel Castro criticou o cultivo de cana-de-açúcar para fabricação de biocombustível. Fidel assinou na quinta-feira no diário oficial Granma um artigo cujo título é “Condenadas à morte prematura por fome e sede mais de 3 milhões de pessoas no mundo”.

“Não é uma estimativa exagerada, é cautelosa”, afirma o líder, no texto. Nele, o líder diz que “transformar alimentos em combustíveis” mais limpos do ponto de vista ambiental é “uma “tragédia”, e “uma idéia sinistra”.

Fidel sustenta que a mudança climática deveria ser combatida com medidas simples, como o uso racional de energia, e não através do uso de recursos naturais e alimentares.

“Isto significaria um respiro para resistir à mudança climática sem matar de fome as massas pobres do mundo” Em Cuba, país cuja economia é sustentada pela cana-de-açúcar, “as terras dedicadas à produção direta de álcool podem ser muito mais úteis na produção de alimentos para o povo, e a proteção do meio ambiente”, escreve Fidel.

“Dêem financiamentos para os países pobres produzirem etanol a partir do milho ou qualquer tipo de alimento e não sobrará uma árvore para defender a humanidade da mudança climática”, assina.

“Por isso, independentemente da excelente tecnologia brasileira para produzir álcool, em Cuba o emprego de tal tecnologia para produção direta de álcool a partir do suco da cana-de-açúcar não constitui senão um sonho ou desvario dos que se iludem com esta idéia.”

Há oito meses, Fidel está licenciado do cargo para tratar as complicações decorrentes de uma cirurgia mal-sucedida. No artigo, Castro não fala de seu estado de saúde nem de temas de política doméstica.

Fonte: BBC Brasil

PS: O Fidel em final de carreira se transformou num marionete do Hugo Chávez

Waldir Pires censurou Boris

boris_01.jpgPor Elio Gaspari, na Folha desta quarta:
Pela primeira vez em 51 anos de profissão, o jornalista Boris Casoy teve um texto expressamente censurado por um ministro. O censor foi o titular da Defesa, Waldir Pires, no episódio que aqui vai narrado.No dia 5 de outubro, Casoy recebeu uma mensagem do encarregado da edição da revista “Informe Defesa”, uma publicação trimestral da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Defesa. Pediam-lhe um artigo para a seção “Abre Aspas”, sobre qualquer assunto que julgasse relevante. Ofereciam-lhe o espaço para que opinasse “de forma livre e transparente”.Nove em dez jornalistas que recebem esse tipo de solicitação argumentam que estão atarefados, agradecem e seguem em frente, mas Casoy decidiu atender ao pedido. Escreveu pouco mais de 20 linhas, relembrando o levante comunista de 27 de novembro de 1935.Disse coisas assim: “Ai de quem invoca as vítimas da fracassada tentativa comunista de tomada do poder! Imediatamente sofre a censura e os ataques das “patrulhas” dispostas a levar adiante seus propósitos, que apesar dos fracassos, agora sob nova roupagem, ainda motivam -por volúpia de poder ou ignorância- parcelas de nossa sociedade. E mais: há todo um movimento pela deificação do executor da Intentona, Luiz Carlos Prestes. (…) A ação comunista produziu 33 vítimas, cujas famílias nunca reivindicaram nada do governo brasileiro”.Proféticas palavras. No dia 27 de dezembro, o jornalista recebeu uma mensagem informando que seu texto fora mandado às urtigas. Nas seguintes palavras, de um assessor de Waldir Pires: “Ao ser levada a prova gráfica à consideração do ministro (como de praxe) ele solicitou-me retirar o “Abre Aspas”. O argumento do ministro é o de evitar-se a reabertura de feridas do passado. Ele chegou a conversar com o Comandante do Exército sobre isso”.O ministro, no caso, é um cidadão que, em 1964, teve os direitos políticos suspensos pela ditadura militar. Tornou-se um “cassado”, nome que se dava à época aos malditos da política. Durante anos a mazorca dos generais proibiu a imprensa de “veicular declarações, opiniões ou citações de cassados ou seus porta-vozes”.