Archive for the ‘Barbárie’ Category

Nigeriano é preso por matar 110 “crianças bruxas”

O homem, que afirma ser o “bispo” Sunday Ulup-Aya, revelou a uma equipe de filmagem de um documentário que ele “livrou” as crianças de um espírito demoníaco que as possuía.

Mas, após sua prisão, ele teria dito à polícia que “apenas matou as bruxas que viviam dentro das crianças e não as próprias crianças”.

Duas crianças foram encontradas quando a polícia invadiu a casa onde ele estava, mas não foram encontradas provas de que ocorreram assassinatos no local.

Ativistas de defesa dos direitos infantis no país afirmam que muitos menores são abandonados, agredidos e até assassinados porque suas famílias acreditam que estas crianças são bruxas.

Pessoas que afirmam ser “pastores” conseguem extorquir dinheiro dessas famílias com a promessa de exorcizar as crianças, mas até agora ninguém havia sido preso ou processado.

A prisão de Ulup-Aya ocorreu depois que um ativista se fingiu interessado em um exorcismo e negociou o preço do ato com ele, que não sabia que havia policiais presentes.

Ele agora deve ser processado por assassinato.
Cinco outras pessoas também foram presas desde o fim de semana, e o governo do Estado de Akwa Ibom disse que planeja realizar novos flagrantes.

Crença
Sam Ikpe-Itauma, da organização Rede para os Direitos Infantis e Reabilitação (CRARN, na sigla em inglês), afirma que trabalha há seis anos para chamar a atenção do governo do Estado de Akwa Ibom para a questão das crianças abandonadas, vendidas a traficantes ou assassinadas.

Mas, a prisão só foi feita depois que uma equipe de documentaristas da Grã-Bretanha mostrou o filme no mês de novembro. “Tantas pessoas aqui acreditam que crianças possam ser possuídas por demônios que são raras as ações contra aqueles que alegam que podem libertar as crianças em exorcismos violentos”, disse.

A organização de Ikpe-Itauma cuida de 170 crianças que foram abandonadas ou sofreram abusos depois de serem acusadas de serem bruxas.

Segundo Ikpe-Itauma outros “pastores” que alegavam libertar crianças da possessão demoníaca em exorcismos violentos foram presos, mas então libertados discretamente pela polícia.

“Agora eu temo pela minha vida”, afirmou. O porta-voz do governo do Estado de Akwa Ibom, Aniekan Umanah, negou que as autoridades tenham sido constrangidas e obrigadas a agirem para a prisão de Ulup-Aya.

“Ninguém sabia a respeito dele, ele mora em um vilarejo muito remoto”, afirmou. Umanah acrescentou que o governo estadual cuida de crianças vítimas de abuso, mas não consegue encontrar os responsáveis por este abuso devido à “falta de documentação”. 
 
Fonte: BBC Brasil

Anúncios

Marine revela que recebeu ordem para executar mulheres e crianças

frank_wuterich.jpgUm cabo dos fuzileiros americanos disse nesta quinta-feira que recebeu ordem para atirar contra mulheres e crianças no povoado iraquiano de Hadiya, durante a audiência preliminar contra um sargento acusado de liderar o massacre, em 2005. Na abertura da audiência sobre o caso contra o sargento Frank Wuterich, em Camp Pendleton (200 km ao sul de Los Angeles), o cabo Humberto Mendoza contou que após a explosão de uma bomba em uma estrada próxima a Hadiya, que matou um marine, o sargento Wuterich ordenou que seu grupo atirasse contra casas que supostamente abrigavam rebeldes.

Segundo o cabo Mendoza, horas após a explosão da bomba o sargento Wuterich liderou uma operação contra os rebeldes e determinou que se atirasse em qualquer pessoa que abrisse a porta após o chamado dos marines.

“Ele disse: só esperem a porta abrir e atirem”, revelou Mendoza, admitindo que disparou contra um homem adulto.

Dentro de uma casa, Mendoza disse que recebeu ordem de outro marine, Stephen Tatum, para atirar contra sete mulheres e crianças que estavam escondidas em um quarto: “Quando abri a porta, havia apenas mulheres e crianças (…) e depois de poucos segundos, percebi que não eram uma ameaça (…) pareciam assustados”.

Logo após sair do quarto, Mendoza encontrou Tatum e relatou que lá só havia mulheres e crianças, mas mesmo assim recebeu ordem de atirar.

vitimas.jpg

O cabo revelou que ainda tentou argumentar com Tatum, dizendo que “eram apenas mulheres e crianças”, mas o outro marine ficou calado. Algum tempo depois, quando estava diante da casa, Mendoza ouviu um forte barulho e quando voltou ao quarto, encontrou todos mortos.

Um investigação paralela realizada pelo major Haytham Faraj encontrou uma menina que sobreviveu ao massacre e que afirma que Mendoza foi o homem que atirou contra o grupo no quarto, no dia 19 de novembro de 2005.

Editorial da TV Record bate duro no governo

logo_record.jpg

Para ver o editorial clique aqui (canto superior direito). 

Tragédia de Congonhas: Mecanismo impediu funcionamento de freio, diz piloto

De Sérgio Duran em O Estado de S. Paulo, hoje:
“Três pilotos ouvidos pelo Estado, que preferiram não se identificar, afirmaram que um dos reversos do avião da TAM estaria “pinado”. O termo, eles explicam, significa que a peça teria um pino para travar o freios. Isso impediria que a aeronave tivesse os freios ativados inesperadamente, como ocorreu na decolagem do Focker 100, em 1996, provocando o acidente que matou 99 pessoas. No entanto, também teria impedido que os freios funcionassem no pouso.

O reverso é um dispositivo usado para desacelerar o avião durante os pousos. O Airbus A-320 da TAM estaria apenas com um deles funcionando corretamente. Os três pilotos – dois deles comandantes da Gol e um deles da TAM – disseram que essa informação foi dada por colegas. O Estado conversou com eles em hotéis da zona sul da cidade, onde se hospedam entre um vôo e outro.

Segundo um deles, que tem 21 anos de profissão, havia também problemas na pista de Congonhas, recém-inaugurada. Assim como já afirmaram vários especialistas, o comandante também percebeu que a pista estava funcionando sem as ranhuras transversais – chamadas de grooving – necessárias para o escoamento de água. Sem isso, o piso poderia empoçar e causar aquaplanagem. O comandante contou que já havia feito vários relatórios sobre o problema na nova pista.

“Era um pista tão nova e já muito emborrachada”, completou o comandante. Ele explica que também informou em seus relatórios que a borracha solta dos pneus dos aviões estava deixando a pista mais escorregadia ainda.

Os pilotos não pareciam tão tranqüilos como os passageiros. “Todos sabem que a pista não poderia estar aberta com essa chuva. Ela não está pronta. Mas piloto não pode reclamar porque perde emprego”, diz um experiente piloto, com 33 mil horas de vôo no currículo, que preferiu não se identificar. “Se fosse eu, teria arremetido a aeronave. Não decolaria com esta chuva. Mas como muitos aviões aterrissaram sem problema, o piloto deve ter achado que seria seguro. Mas não é.

Em primeira mão: suposto assassino do menino Sidney é preso

Foi preso na manhã desta quinta-feira, 14, o acusado do assassinato do jovem Sidney Junior Andrade Souza, 10 anos, crime que chocou Montes Claros neste mês de junho. O preso, de nome Francisco Reis de Almeida, 19 anos, vulgo Dé, filho de Maria Rabo de Peixe, está neste momento sendo ouvido na delegacia regional de polícia civil.

assassino_sidney01.jpg

assassino_sidney02.jpg

Fonte: Site do Jornal O Norte / Fotos: Wilson Medeiros

Montes Claros foi assolada pela barbárie

Uma visita ao avô que havia sido operado era o objetivo de Sidney Júnior no feriado de Corpus Christi. O pai levou de moto o irmão Cláudio de 07 anos e voltou para buscar Sidney que havia sido instruído para fazer parte do caminho à pé. Não mais de 05 minutos separaram o pai de seu último encontro com o filho, pois a casa do avô dista apenas 08 quadras. O garoto Sidney Júnior de apenas 10 anos foi encontrado morto na tarde de ontem, dia 11. Desaparecido desde às 12 horas da última quinta-feira o corpo foi achado próximo à sua residência por um catador de latas. Junto ao corpo sem camisa e com as calças baixadas até o joelho estavam apenas seus chinelos. O rosto foi completamente desfigurado.

Há explicação para este assassinato brutal? Sim, embora tentemos resistir bravamente. A primeira é que existem pessoas ruins que devem ser afastadas do convívio social pelo resto de suas vidas sem qualquer tipo de benefício. Cadeia até a morte. A segunda é a impunidade. Um facínora pode ser solto facilmente após 05 anos de cadeia, caso pegue uma pena de 30 anos, graças à nossa legislação penal. Mata-se hoje em Montes Claros e em qualquer outra parte do Brasil, sem hesitação, sem piedade porque a lei protege os criminosos.

Apesar disto alguns ainda vão evocar a teoria social do crime, como uma absurda hipótese de que pobreza gera violência. Se fosse assim nossa cidade seria um antro de criminosos há tempos, uma vez que sempre foi formada em sua maioria por pessoas pobres.

Outros irão gritar dizendo que há falta de policiais nas ruas. Acontece que não há polícia capaz de coibir um evento como esse. Não quero dizer com isto que ela seja eficiente, mas também não é a culpada.

A cidade está pasma, horrorizada e com nojo dos fatos. Estamos acuados, amedrontados, inertes. Qual será o limite para nossa estúpida vontade de esconder que Montes Claros já não é segura para nossos filhos, para nossa família? Quantos outros Sidney’s terão que ser assassinados, desfigurados, mutilados e jogados em matagais? Não se pode deixar que a morte do Sidney seja apenas um registro policial, uma estatística como se tornaram a Alana Ezequiel e o João Hélio no Rio de Janeiro.

Basta!

Foto: Montesclaros.com

PS: À família de Sidney Júnior minhas condolências. Que Deus abençoe a todos vocês. Mais um anjinho que volta para junto do Pai Eterno.