Archive for the ‘Assalto’ Category

Franklin Martins e a definição de assalto = “expropriação”

franklin

Por Letícia Sander, na Folha

Um dos principais auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Franklin Martins (Comunicação Social) era visto pelos órgãos repressivos da ditadura militar (1964-1985) como um dos líderes estudantis de maior evidência, um indivíduo de “grande periculosidade” que, “sempre armado, não vacila em atirar”.

O texto, que provoca risos do hoje ministro, foi assinado por Newton Costa (da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos) em 4 de setembro de 1969 e integra um calhamaço sobre sua atuação no período, em poder do Arquivo Nacional.

Os documentos, aos quais a Folha teve acesso, incluem uma espécie de ficha do extinto SNI (Serviço Nacional de Informações) datada de 1974, na qual ele é acusado de ter participado de toda ordem de subversão, de assaltos contra bancos e à residência de um deputado, a seqüestros e roubos.

Fatos, em sua maioria, negados pelo ministro. Do teor das acusações listadas, Franklin confirma duas participações: foi ele quem, em 4 de setembro de 1969, estava na direção do Volkswagen azul que bloqueou a passagem do carro do embaixador norte-americano Charles Elbrick, ponto inicial de uma ação que virou símbolo do combate à ditadura militar.

O ministro também confirma ter feito a “segurança” da operação de assalto à casa do então deputado Edgard Magalhães de Almeida, político ligado às artes que tinha cerca de U$ 70 mil no cofre de casa, dinheiro que foi levado pelos militantes na ação, descrita ainda hoje pelo ministro como de “expropriação”, e não roubo.

“Exímio atirador”, de acordo com os militares, Franklin é irônico ao se referir à própria periculosidade. “É um conceito subjetivo”, diz, acrescentando: “De alta periculosidade eu acho que era o general que comandava o país naquele momento”.

O ministro fez curso de guerrilha em Cuba, período em que foi treinado para o uso de armamentos e explosivos, além de táticas de selva e condicionamento físico. Hoje, ele reconhece que a luta armada não foi um instrumento eficaz no combate à ditadura, mas não se arrepende disso.

Anúncios

PMs são presos por suspeita de roubar de assaltantes

Um sargento e três soldados da Polícia Militar foram presos esta semana, suspeitos de roubar ladrões. A Corregedoria diz que eles perceberam um assalto a um caixa eletrônico, mas resolveram esperar os ladrões saírem. Em seguida, assaltaram os assaltantes, que foram embora de mãos vazias. (veja as imagens)

Os ataques a caixas eletrônicos cresceram 36% em São Paulo. Este ano, já foram 302 casos. A Corregedoria da Polícia ainda não terminou a investigação dos quatro PMs suspeitos de roubar os ladrões.

– São policiais que, se estiverem comprovadamente envolvidos neste fato, esqueceram o juramento que prestaram, a farda que estão honrando, e serão responsabilizados por isso – afirma Marcelo Zanchetta, capitão da PM.

As câmeras dos bancos registram os ataques, mas quase sempre a polícia chega quando já é tarde. Os ladrões agem em bando porque, para atacar um caixa eletrônico, é preciso força e agilidade: cada caixa pesa meia tonelada.

Alguns ladrões montam um cenário para o roubo. Improvisam uma cortina com os cartazes de propaganda o banco. Quando pegam o dinheiro, os anúncios voltam para o lugar. Os bandidos fogem, antes da chegada da polícia.

Os três soldados estão presos na corregedoria e o sargento, no Presídio Romão Gomes, porque também foi flagrado com drogas. O assalto aconteceu na última sexta-feira, dia 12, em Guaianases.

Dois crimes com marcas de crueldade chocam MG

Luiz Ribeiro e Fábio Fabrini oara o Estado de Minas 

Dois crimes separados por cerca de 600 quilômetros, mas equiparados em nível de crueldade chocam duas cidades mineiras. Na Região Metropolitana de BH, em um assalto com requintes de covardia, a mãe de um cabo do Corpo de Bombeiros foi queimada, na manhã de sábado, em Brumadinho, depois de ter o corpo encharcado com gasolina. Em Jequitinhonha, a 677 quilômetros da capital, o assassinato de um garoto de 10 anos deixou revoltada a população local e provocou ameaças de linchamento contra o assassino confesso, um adolescente de 17 anos.

No crime registrado na Grande BH, três homens invadiram o sítio em que a vítima passava o fim de semana com o marido, jogaram gasolina em seu corpo e atearam fogo, supostamente para forçá-la a entregar dinheiro arrecadado numa festa religiosa. Até o fim da tarde de sábado, nenhum suspeito havia sido preso.

O crime ocorreu por volta das 6h, numa área de pouco movimento do distrito de Conceição do Itaguá. Os ladrões, armados, arrombaram a casa e renderam o casal Carlos José de Sales, de 58 anos, e Neide Fátima Rezende Fátima, de 54. Enquanto um dos criminosos, encapuzado, vigiava o sítio do lado de fora, os outros dois reviravam tudo. De acordo com a ocorrência da Polícia Militar, eles exigiam o que havia no cofre e a quantia arrecadada na Festa de Nossa Senhora da Conceição, feita pela comunidade católica na segunda-feira. Carlos José ajudou no evento, trabalhando no caixa, mas o dinheiro não tinha sido guardado por ele, tampouco havia cofre na casa.

Frustrado, o homem encapuzado teria achado uma garrafa com dois litros de gasolina e despejado tudo sobre Neide Fátima, com o objetivo de fazer tortura psicológica e descobrir o que procurava. Pouco depois, num momento de maior tensão, ateou fogo à mulher, que teve queimaduras no rosto, costas, braços e peito.

Carlos José e os dois homens que não usavam capuz apagaram o fogo. Mas a ação não parou. Logo depois, as vítimas foram presas no banheiro para que a casa fosse saqueada. Os ladrões levaram duas televisões, um violão, um rádio, dois celulares e jóias de Neide Fátima. Fugiram por uma estrada vicinal, com o Ford Explorer do casal, que pediu socorro a um dos filhos.

Eles foram levados numa viatura da PM para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Até o fim da tarde de sábado, Neide Fátima permanecia internada em estado gravíssimo no centro de terapia intensiva. De acordo com a equipe médica, ela teve queimaduras de terceiro grau e passou por cirurgia para limpar os ferimentos. O marido dela levou coronhadas, mas não precisou ser atendido. Eles são pais do cabo João Carlos de Sales, de 22, que é clarinetista da Banda do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte.

Confissão
No Vale do Jequitinhonha, a polícia identificou sexta-feira o assassino do garoto Isaac Sena Gil, de 10 anos. Depois de um dia desaparecido, ele foi encontrado morto, à beira do Córrego Labirinto, nas proximidades da área urbana do município de Jequitinhonha. Um adolescente de 17 anos – vizinho da vítima e que, inclusive, havia ajudado nas buscas – foi apontado como o autor e confessou o crime.

O menor está detido na delegacia de Jequitinhonha, onde, revoltados, moradores ameaçaram linchá-lo. Isaac foi estrangulado após ter sido violentado sexualmente. De acordo com as investigações, o autor do crime atraiu a criança para um matagal e teria cometido o assassinato porque o menino disse que denunciaria o abuso.

Montes Claros: Homicídio n.º 81 em 2008

Moradores da zona rural de Montes Claros, acostumados com a tranqüilidade, temem pelo aumento da insegurança após o registro de mais um homicídio na tarde de domingo, 30 de novembro.

O jovem Pedro Elton dos Reis Silveira, de 16 anos foi assassinado, por volta das 17h30, com dois tiros, sendo um no pescoço e outro nas costas. O crime ocorreu no distrito de Ermidinha, distante 40 quilômetros do perímetro urbano da cidade.

Dois suspeitos, um deles conhecido pela alcunha de “Ney”, em um veículo Vectra, de cor verde, estão sendo procurados pela polícia. Segundo a PM, os desconhecidos são apontados por testemunhas como sendo os autores do homicídio.

A Visita
Testemunhas informaram aos investigadores da polícia que, os criminosos chegaram à casa da vítima e gritaram pelo seu nome. Ao sair para atender a visita indesejada, o jovem adolescente foi surpreendido com um tiro no pescoço. Ferido, ele tentou retornar para dentro de casa, mas foi acertado com outro tiro nas costas. Pedro Elton não resistiu aos ferimentos e morreu na porta de sua moradia.

Consumado o crime, os atiradores fugiram do local. Os motivos e autoria do homicídio são desconhecidos, mas a polícia suspeita de vingança. De acordo com levantamentos feitos na cena do crime, a vítima teria agredido um outro adolescente na região há cerca de seis meses.

O corpo de Pedro Elton foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), após levantamento realizado pela perícia técnica da Polícia Civil. O Boletim de Ocorrência (BO) lavrado pela PM foi entregue na delegacia de plantão da PC que irá instaurar inquérito policial para apurar o assassinato.

Controvérsia
Apesar dos 81 homicídios registrados em Montes Claros, a Policia Civil insiste em desconsiderar os assassinatos ocorridos na zona rural do município. Deste total, segundo a PC, apenas 79 homicídios fazem parte das estatísticas de crimes torpes registrados na cidade.

Kibado do Blog Bastidores do Crime

Pesquisa sobre vitimização em favelas do Rio de Janeiro da Professora Alba Zaluar

zaluar.jpg“Resolvemos comparar duas áreas da cidade que apresentam os maiores contrastes em relação à renda, escolaridade, condições de infra-estrutura urbana, etc. Olhem só os resultados dos crimes assistidos pelos moradores nas suas respectivas vizinhanças: na zona sul, assalto, extorsão de policiais e uso e consumo de drogas é varias vezes superior. As favelas da AP4,( Barra-Jacarepaguá), dominadas por milícias, conseguem o que a segurança privada da zona sul não consegue evitar. Na favela só ganha assassinato de vizinhos e amigos, além dos tiros disparados por PMs. Alguma coisa está profundamente errada na política de segurança da cidade.”

rio.jpg

A doce vida dos senadores

senado.jpg

De Chico de Gois em O Globo, hoje:
“O orçamento do Senado disponível ao público mais esconde do que mostra sobre os gastos dos 81 senadores. Uma consulta ao Sistema de Administração Financeira (Siafi) demonstra que, sob rubricas que à primeira vista nada traduzem, há gastos que saltam aos olhos pelo inusitado ou pelo valor. Por exemplo: até sexta-feira, a Casa já havia gasto, este ano, R$ 8,4 milhões com passagens aéreas nacionais e mais R$ 218 mil em tíquetes internacionais, num total de cerca de R$ 8,6 milhões em bilhetes aéreos.

Na Câmara, é possível saber quanto cada deputado gasta com combustível, contrato de assessoria e impressos, entre outras coisas; está tudo na internet. No Senado, isso não acontece. Saber quanto ganha um funcionário efetivo do Senado também é quase impossível. A intranet não informa. Só traz dados sobre os funcionários dos gabinetes que exercem cargo em comissão, isto é, não são concursados.

Ser eleito senador, ou suplente que assuma a vaga por só um mês, dá direito a facilidades, sem prestação de contas públicas, como, por exemplo, assistência médica e odontológica para si e familiares, para o resto da vida. E os ex-senadores não se fazem de rogados na hora de usar o benefício. Só neste ano, o Senado gastou R$ 520 mil com médicos e dentistas que atenderam aos ex-parlamentares. E, pelas contas disponíveis, dentistas e médicos de ex-senadores cobram caro. O paraibano Maurício Brasilino Leite, que exerceu o mandato em 1980, gastou, em fevereiro, R$ 31,9 mil  em tratamento odontológico.

Valmir Amaral (DF) também andou com problemas bucais e o Senado desembolsou para ele R$ 23,9 mil. A mulher do presidente do Senado, Maria Verônica Calheiros, foi outra que sofreu com os dentes. Gastou este ano R$ 19,5 mil.

De um total de R$ 2,7 bilhões, o orçamento deste ano do Senado prevê despesas de R$ 48 milhões com assistência médica e odontológica de ser$, empregados e dependentes. Na Câmara, com 513 deputados e milhares de servidores, o orçamento reserva R$ 46 milhões para o mesmo fim. Os inativos e pensionistas do Senado também consomem mais do que os congêneres da Câmara: R$ 724 milhões no primeiro caso, e R$ 712 milhões, no segundo.

Os parlamentares também têm direito a quatro bilhetes mensais de ida e volta para o $de origem, e mais uma passagem para o Rio de Janeiro, onde está a antiga sede do Senado. Há ainda gastos com diárias de servidores e dos próprios parlamentares, quando se deslocam a trabalho. Até sexta, segundo dados do Siafi, foram pagos R$ 211 mil para diárias no Brasil e R$ 226 mil para diárias no exterior”.

Polícia do Norte de Minas investiga novo golpe a caixas eletrônicos

De Luiz Ribeiro para o Estado de Minas, ontem:
Está sendo investigado pela Polícia Civil no Norte de Minas uma nova ação usada por criminosos no roubo a caixas eletrônicos dos bancos. O golpe é aplicado a partir dos conhecimentos de informática – semelhante à ação dos ‘hackers’. De acordo com ocorrência registrada pela Polícia Militar, durante o feriado da Semana Santa, foram roubados R$ 63,3 mil da agência do Banco do Brasil de Jaíba – de 33,2 mil habitantes, a 620 quilômetros de Belo Horizonte.

Segundo informações fornecidas pela PM e pelo delegado de Jaíba, Renato Nunes, o roubo foi praticado, provavelmente, na noite de Quinta-Feira Santa ou na manhã de Sexta-Feira da Paixão, da seguinte forma: dois ou mais elementos chegaram ao caixa eletrônico e desligaram as câmeras de vídeo. Um deles conseguiu retirar a parte proteção da máquina e conectou um computador portátil (notebook) ao caixa eletrônico. A partir daí, ‘emitiu´ comandos, que resultou na retirada do dinheiro que existia na máquina.

Procurada na tarde de terça-feira, a Superintendência do Banco do Brasil em Minas, por intermédio da sua assessoria de imprensa, confirmou que houve a retirada ilegal do dinheiro na agência de Jaíba, mas negou que tenha ocorrido qualquer tipo de violação do sistema informatizado do banco, assegurando também que não houve prejuízos para os clientes, uma vez que nenhum número de conta foi acessado. Segundo o BB, os criminosos conseguiram burlar somente o sistema de liberação do dinheiro pela máquina do caixa eletrônico. Leia mais aqui (link aberto)