Archive for 19 de junho de 2007|Daily archive page

Charge do dia

pfstf-2.gif

Anúncios

Receita do Bolo: Como ir para o 2º turno das eleições e vencer

As especulações sobre os candidatos a Prefeito 2008 já estão nas ruas de Montes Claros há tempos. Quase certo mesmo, porque só a Deus é dada a certeza plena, é que o atual prefeito, Dr. Athos Avelino, vá tentar a reeleição. Como todos sabem que a “tchurma” do poder é bem fraquinha quando se fala em fazer política aqui vai uma boa dica. Apenas não esqueçam de agradecer depois.

Em 1999 o Instituto Friederich Nalman (partido liberal-democrata alemão) realizou em Montevidéu um seminário sobre a tática que os candidatos devem usar no primeiro turno, em eleições em dois turnos. Vários especialistas europeus e latino-americanos foram convidados.
           
Em 2000 os ensinamentos colhidos neste seminário, foram aplicados na eleição do Rio de Janeiro com grande sucesso. É certo que isso significou um risco na ultrapassagem para o segundo turno, mas garantiu a vitória no segundo turno, contra todos os prognósticos e pesquisas.
           
A idéia básica é construir o segundo turno no primeiro. Desta forma deve-se, a partir de pesquisas em série e em profundidade, identificar quem tem mais chances de ir para o segundo turno. Daí deve-se isolá-lo e fazer uma campanha suave e elogiosa com os demais adversários. Estabelecer um clima de respeito e cordialidade de forma a que o eleitor deles (dos outros candidatos) esteja simpático no segundo turno ao candidato X. Com isso se faz uma campanha de um só adversário no primeiro turno, polarizando com este e suavizando com os demais.
           
Claro, o leitor do “2Dedos” atento pode dizer que há risco de que um dos não atacados cresça e vá, ele mesmo, para o segundo turno. Porém se o candidato X (não favorito) for para o segundo turno, sua chance de vitória aumenta muito. Alguns dizem: se for para perder que se perca logo no primeiro turno, pois a memória do eleitor será apenas do vencedor.
           
No recente primeiro turno para prefeito em Buenos Aires, o prefeito atual Telerman saiu na frente do candidato de Kirchner, Filmus. Este bateu, bateu, bateu em Telerman e conseguiu ir para o segundo turno. Agora o eleitor de Telerman que no inicio da campanha tinha Filmus como segunda opção, mudou em função da campanha agressiva, e opta majoritariamente pro Macri que se torna franco favorito no segundo turno.

Senado vai acabar aprovando o ‘Bolsa-Palhaço’

palhaco.gifLogo, logo o Senado se verá obrigado a aprovar um projeto de lei instituindo um programa que terá efeitos benéficos no combate ao desemprego. Se a iniciativa for bem sucedida, milhões de brasileiros estarão habilitados para trabalhar nos picadeiros de circo. Nesta segunda-feira, deu-se mais um passo rumo à instituição do programa Bolsa-Palhaço. Epitácio Cafeteira, relator do processo contra Renan Calheiros, pediu licença. Alega problemas de saúde. Pretende ausentar-se por pelo menos dez dias. Nada impede que o prazo seja prorrogado.

Diante do incomum, o Conselho de Ética do Senado enveredou pelas trilhas do inusitado. Em vez de indicar um substituto para Cafeteira, o presidente Sibá Machado nomeou-se a si mesmo como relator substituto. Com isso, manteve vivo o relatório de Cafeteira, que pede o soterramento do processo contra Renan Calheiros.

Nesse ritmo, o Senado talvez tenha que acelerar a elaboração e a votação do Bolsa-Palhaço. Sugere-se a inclusão no projeto de um artigo prevendo a distribuição gratuita de narizes vermelhos e sapatos grandes a todos os desempregados que desejarem ingressar na nova carreira. É dispensável qualquer tipo de preocupação com cursos de treinamento. O trabalho do Conselho de Ética transforma todos os brasileiros em palhaço automática e instantaneamente.

Vi no blog do Josias

Laudo da polícia compromete defesa de Renan

De Andréa Michael na Folha de S. Paulo, hoje:
“O laudo elaborado pelo INC (Instituto Nacional de Criminalística), órgão da Polícia Federal, compromete a versão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao apontar conflito entre as datas nas quais ele teria vendido lotes de gado e aquelas em que há registro de ingresso em suas contas bancárias do valor obtido com a transação comercial.

Para evitar ser processado, Renan apresentou documentos com o objetivo de comprovar licitude e suficiência de rendimentos por meio dos quais pagou pensão alimentícia nos últimos anos para uma filha que teve fora de seu casamento.

Entre os papéis há notas fiscais e GTAs (Guias de Transporte de Animais), documentos usados por Renan para justificar, no Conselho de Ética, que a venda de gado de sua propriedade em Murici (AL) serviu como fonte de recursos legítimos para o pagamento da pensão.

Feita a análise pelos peritos do INC, que trabalharam em Maceió ao longo de todo o dia de ontem, a conclusão foi que a documentação apresentada por Renan é materialmente verdadeira, ou seja, seguiu os trâmites de emissão, tramitação e registro no âmbito das secretarias de Agricultura e de Fazenda do Estado de Alagoas.

Em Brasília, outro grupo de peritos do INC se debruçou sobre os extratos bancários apresentados por Renan. Surgiu daí a identificação de inconsistências entre as datas das transações com gado e o dinheiro que alimentou seu saldo bancário.

Renan afirma que tirou de sua própria conta o dinheiro da pensão alimentícia. As quantias seriam repassadas mensalmente ao lobista da Mendes Júnior Cláudio Gontijo, encarregado de fazer os pagamentos.

O laudo que a PF apresentará ao Conselho de Ética não é conclusivo. Deixará claro que, pelo tempo exíguo, não se fez uma análise fundamental: checar se as transações apontadas nas notas fiscais realmente ocorreram e de que forma estariam (ou não) registradas na contabilidade dos compradores que negociariam com Renan. Ou seja: não fica descartada a hipótese de eventual falsidade ideológica encoberta pelos documentos materialmente verdadeiros”.

Renan será aconselhado a renunciar ou a se afastar da presidência do Senado

Aliados do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), consideram que a situação do colega vai se tornando cada vez mais insustentável. Hoje e amanhã o alagoano começara a receber emissários sugerindo a ele que renuncie ou se licencie da presidência do Senado.

O nome predileto para colocar o guiso no gato é o senador José Sarney (PMDB-AP), ele próprio um experiente político que sabe a hora de se retirar quando há uma crise. Sarney, é claro, resiste a assumir a espinhosa missão.

Essa operação toda seria uma forma de minimizar o dano causado aos outros senadores que ainda pretendem salvar Renan. Entre o compadrio e o prejuízo próprio, os amigos do presidente do Senado preferem a lei do menor esforço, salvando a própria pele.

A opinião quase geral dentro do Congresso é que a absolvição pura e simples de Renan levaria a um desgaste de imagem além do já costumeiro para senadores –e, de quebra, para deputados também. Salvo ou não, Renan será para sempre o “senador dos bois milionários”, o “rei do Gado”, enfim, passará a incorporar ao nome um aposto pejorativo cujo efeito seria o de macular a imagem de toda a instituição.

Por enquanto, avalia-se ser possível a pizza da salvação só em condições especiais. É vital agora que Renan entregue também parte de seu patrimônio. Como a lei impede ao presidente do Senado simplesmente renunciar ao mandato –pois o processo já começou– a idéia é o afastamento do cargo.

Em troca, a investigação começaria a correr em marcha mais lenta. Em alguns meses, possivelmente, poderia ser tudo arquivado. Renan continuaria senador, mas sem poder e totalmente desidratado.

Retirado do blog do Fernando Rodrigues

Manchetes do Dia (19/06)

Jornal de Notícias: Prefeito quer regulamentar motos

O Tempo: Renan teria proposto pagamento de R$ 9.000,00 por fora a jornalista

Hoje em Dia: Hospital é condenado por bebê contrair AIDS

Estado de Minas: Salário de servidor federal sem concurso sobe até 139%