Archive for 7 de junho de 2007|Daily archive page

Charge do dia

Al Gore / Live Earth – Rio de Janeiro

No dia 07 de julho acontecerá em 07 cidades pelo mundo o LIVE EARTH. O Rio de Janeiro está entre as 7. Veja a propaganda oficial abaixo. (Clique para ampliar)

Updated: Confirmado hoje, 27/06, pela Prefeitura do Rio de Janeiro os shows do Live Earth: Pharrell Williams / Lenny Kravitz / Macy Gray / Xuxa / O Rappa / Marcelo D2 / Jorge Benjor / Jota Quest / Vanessa Da Matta / MV Bill.

Irmão de Lula pedia propina a bingos

vava.jpgInvestigações da Polícia Federal revelam que o irmão mais velho do presidente Lula, Genival Inácio da Silva, o Vavá, 66, pedia propinas para empresários de bingos e caçaníqueis envolvidos em crimes, a pretexto de influir politicamente no executivo nacional e ainda explorar seu prestígio junto ao Poder Judiciário. Segundo a PF, Vavá pedia pequenas quantias, de R$ 2.000, R$ 3.000, para favorecer pessoas envolvidas com formação de quadrilha, contrabando e corrupção, presos na operação Xeque-Mate, mas não cumpria suas promessas. Cópias das gravações telefônicas e do inquérito seriam distribuídas ontem à noite aos advogados dos 79 acusados presos na operação. Foram entregues ontem cerca de 40 CDs à Justiça pelos delegados da PF que comandam a investigação.

“Ele (Vavá) não chegava a efetivar os pedidos, sequer os encaminhava, mas de qualquer modo, como irmão do presidente da República ele pedia dinheiro a pretexto de influir politicamente nas ações criminosas. E isso é crime”, afirmou um delegado da PF que atua no caso, cujo nome é preservado.

Além de gravações de telefonemas envolvendo Vavá , obtidos pela PF com autorização do juiz Dalton Conrado, de Campo Grande, um dos presos na operação Xeque-Mate, Andrei Cunha, aceitou o sistema de delação premiada e contou que o irmão do presidente pedia dinheiro.

Cunha é ex-gerente de uma casa de caça-níqueis de Nilton Cezar Servo, o principal chefe das quadrilhas investigadas na operação e de quem se tornou desafeto.

Nilton, que também está preso com a mulher, os três filhos e alguns funcionários de suas casas de caça-níqueis espalhadas no Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Minas Gerais, é amigo de Vavá e fazia festas em Caraguatatuba, na casa de praia de Dario Morelli Filho, compadre do presidente Lula.

“Na verdade, o Vavá é um cara simples, quase analfabeto, que enrolava as pessoas, porque não conseguia passar da porta do Palácio do Planalto, não tinha relações para isso”, disse outro delegado da Polícia Federal que também atua no caso (são dez delegados federais).

O ex-gerente Andrei Cunha contou à PF que Servo costumava ficar irritado com os pedidos de Vavá, que lhe pedia sempre pequenas quantias (entre R$ 2.000 e R$ 3.000). Todas as vezes que Servo ia a Caraguatatuba, Vavá lhe pedia dinheiro, de acordo com Cunha.

O advogado de Cunha, Marcelo Dib, confirmou ontem que seu cliente aceitou a delação premiada.

Outro delegado da PF informou que o ex-deputado Nilton Cezar Servo (PSB) era apenas uma das pontes de Vavá para o tráfico de influências e exploração de prestígio, crimes nos quais Vavá foi indiciado pela PF no inquérito que investiga a máfia dos caça-níqueis que atuam em seis Estados brasileiros.

Na realidade, Vavá só foi descoberto por causa de sua amizade com Servo, ao ser flagrado em uma das conversas monitoradas de Servo, segundo o delegado.

Fonte: Agência O Globo

Palocci é condenado à perda de cargo em 2 decisões judiciais

O deputado federal, ex-prefeito de Ribeirão Preto e ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci Filho (PT) foi condenado em primeira instância à perda de função pública em duas decisões judiciais, ambas por improbidade administrativa. Cabe recurso contra as decisões. A primeira, por ter praticado gastos considerados irregulares na obra conhecida como Vale dos Rios, em Ribeirão. A obra, orçada em R$ 8 milhões, era um projeto de revitalização da área central da cidade. Segundo a decisão, Palocci não fez estudo de impacto ambiental da obra e infringiu o princípio constitucional da eficiência ao não priorizar um projeto contra enchentes. A segunda decisão analisou uma doação da prefeitura, em 2002, para a Associação Ribeirão-pretana dos Funcionários da USP, no valor de R$ 14.601. Foram condenados, além de Palocci, quatro secretários à época –João Theodoro Feres Sobrinho, Ralf Barquete, Aparecido Moreira e Donizeti Rosa– e dez vereadores que aprovaram o projeto.

Os parlamentares condenados são o atual presidente da Câmara, Wandeir Silva (PMDB), os atuais vereadores Leopoldo Paulino (PSB), Jorge Parada (PT), Coraucci Netto (DEM), Bertinho Scandiuzzi (PSDB) e Walter Gomes (PR) e os ex-vereadores Amauri de Souza, José Alfredo Carvalho, Luiz Geraldo Dias, Plauto Garcia Leal Filho e Waldyr Villela.
 
Fonte: Folhanews

Susto no Vaticano

Os fiéis que estavam na Praça de São Pedro, no Vaticano, ontem, levaram grande susto. Um homem tentou pular dentro do papamóvel, quando o papa Bento XVI chegava para a audiência geral das quartas-feiras. Mas foi contido pelos seguranças e preso. O papa não foi ferido. O porta-voz da Igreja Católica, reverendo Federico Lombardi, informou que o homem é um alemão, de 27 anos, com sinais de desequilíbrio mental. (veja seqüência)

Manchetes do Dia (07/06)

Jornal de Notícias: Comércio anuncia pisos

O Tempo: Irmão de Lula pedia propina a bingos

Hoje em Dia: Troca de bebês custará R$ 100 mil a hospital

Estado de Minas: Renan modifica Imposto de Renda após denúncia